Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

18 DICAS PARA ESCREVER UM LIVRO

IMG_20180216_104729.png

 

Dicas e conselhos nunca são suficientes se provocarem boas energias e incentivo. Sendo assim, tragodezoito dicas para quem quer ser escritor e está disposto a trabalhar para isso. Espero que sejam úteis e te inspirem para começar.

 

Estes conselhos foram retirados do livro Escrever: memórias de um ofício, de Stephen King. O livro foi editado pela Temas& Debates em 2001, encontra-se esgotado neste momento. Vamos torcer para ser reeditado.

 

Stephen King é um escritor americano, conhecido pelos seus livros de horror fantástico e ficção. Já vendeu quase 400 milhões de cópias e foi publicado em mais de 40 países. Várias obras foram adaptadas ao cinema. Tem mais de 40 obras editadas.

 

Adorei este livro, fiquei super entusiasmada para partilhar convosco. Precisei de resumir e escolher, dentro das dezenas, apenas dezoito dicas. Tem muito mais e recomendo imenso este livro para quem pretende escrever um livro. Ou para quem gosta de livros sobre o tema. É um dos melhores dentro do género. Espero que consigam encontrar numa biblioteca ou num alfarrabista. Vale muito a pena.

 

 

 

Vamos à lista. 18 dicas para escrever um livro. 

 

- As ideias para as melhores histórias aparecem do nada. O teu trabalho não é encontrar ideias, é reconhecer quando elas aparecem.

 

- Escreve com a porta fechada, reescreve com a porta aberta. Em outras palavras, escreve como se fosse só teu e para ti, mas não te esqueças que depois o texto pertence a quem vai ler ou criticar. Tens de estar preparado.

 

- Escrever é um trabalho solitário. Ter alguém que acredita em ti faz toda a diferença. Não precisam de fazer discursos motivacionais. Basta acreditar.

 

- Parar uma história só porque ela é emocional ou criativamente difícil é uma péssima ideia. Precisas de ser persistente, mesmo quando não sentes vontade. Às vezes estás a fazer um bom trabalho mesmo quando parece estares sentado a não fazer rigorosamente nada de jeito.

 

- Podes encarar o ato de escrever com nervosismo, animação, esperança ou até desespero — aquele sentimento de que nunca será possível pôr na página tudo o que está no teu coração e na tua mente. Encara a escrita como quiseres, menos levianamente. Repito: não encares a página em branco de maneira leviana.

 

- Uma das piores coisas que se pode fazer é tentar enfeitar o vocabulário ou usar palavras longas porque tens vergonha de usar as curtas de sempre.

IMG_20180216_105433.png

 

 

- Quanto mais ficção lês e escreves, mais rápido verás os teus parágrafos formarem-se. Quando estás a escrever um texto é melhor não pensares demais no inicio e no fim dos parágrafos. O truque é deixar a natureza seguir seu curso. Se depois não gostares, é só corrigires. Ou seja, reescrever.

 

- O objetivo da ficção é fazer com que o leitor se esqueça, sempre que possível, que está a ler uma história.

 

- O peso e o número de páginas, por si só, não indicam excelência. Muitas histórias épicas são uma porcaria da mesma forma que livros curtos nem sempre são bons.

 

- A boa escrita consiste em dominar os fundamentos (vocabulário, gramática, elementos de estilo) e depois colocar os instrumentos certos. Embora seja impossível transformar um escritor mau em um escritor competente, e embora seja igualmente impossível transformar um escritor bom em um incrível, é sim possível, com muito trabalho, dedicação e conselhos oportunos, transformar um escritor meramente competente em um bom escritor.

 

- É importante ler para experimentar a mediocridade; essa experiência ajuda a reconhecer esse tipo de coisa quando ela começa a infiltrar-se no teu trabalho. Também é preciso ler para te comprares aos bons e aos grandes, para ter uma noção de tudo o que pode ser feito. E também deves ler para ter contato com diferentes estilos.

 

IMG_20180216_104834.png

 

 

- Escreve até os dedos sangrarem ou os olhos quase caírem das órbitas. Não importa se ninguém está a ver ou a assistir.  Todo esforço é digno de aplausos, porque tu, como criador, estás feliz.

 

- Precisas de ler quatro a seis horas por dia, todos os dias — não vai parecer exaustivo se realmente gostares de fazer e tiveres aptidão para as duas coisas.

 

- Quando começares a trabalhar num projeto não pares, não diminuas o ritmo a menos que seja absolutamente necessário.

 

- Quando entrares no teu espaço de escrita e fechares a porta, já deves ter estabelecido uma meta diária.  Como acontece com os exercícios físicos, é melhor estabeleceres uma meta baixa, de início, para não ficares sem motivação. São recomendadas mil palavras por dia e uma folga por semana, pelo menos no início.

 

IMG_20180216_110101.png

 

 

- Não esperes pela musa de inspiração, trabalha muito diariamente. A musa aparece durante o trabalho e nunca antes.

 

- Não descrevas demasiado a aparência das personagens, deixa que seja o leitor a fornecer o rosto, o físico e as roupas. 

 

- Não deixes de acreditar em ti, mesmo quando os outros duvidam.

 

 goodreads twitter instagram facebook

18 ESCRITORAS PORTUGUESAS CONTEMPORÂNEAS

InstaFit_20180121_12281584.jpg

 

Quem são as nossas poetisas, cronistas e romancistas? Quem são as portuguesas que precisamos ler? Esta seleção tem o intuito de dar a conhecer algumas escritoras portuguesas.

 

São dezoito portuguesas escolhidos entre vários. Espero que leiam, amem e partilhem mais a literatura portuguesa todos os dias. Alguns nomes figuram a lista das minhas escritoras preferidas. Vamos conhecer?

 

 

Patrícia Portela, vive entre Portugal e Bélgica. Com o romance Banquete foi finalista do Grande Prémio de Romance e novela APE em 2012. Foi a primeira autora a receber uma bolsa literária em Berlim do Instituto Camões em 2016.  É colaboradora do Jornal de Letras.

 

Raquel Nobre Guerra, nasceu em Lisboa. Licenciada em Filosofia. O seu primeiro livro de poesia foi galardoado com Prémio Primeira Obra do PEN Clube Português em 2012 (Groto sato).

 

Patrícia Reis, jornalista e escritora. Nasceu em Lisboa. Editora da Revista Egoísta, já passou pelo Semanário Independente, pela revista Sábado e fez um estágio na Time, em Nova Iorque.

 

Teolinda Gersão, nasceu em Coimbra. É professora universitária e escritora. Recebeu inúmeros prémio ao longo da sua carreira, com destaque para Prémio PEN Clube Português Novelística em 1982 e 1990. Prémio Fernando Namora em 2015.

 

Teresa Veiga, é o seu pseudónimo. Sabemos pouco sobre ela porque não revela a sua identidade. Nasceu em Lisboa. Recebeu em 2008 pela segunda vez o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco.

 

Raquel Ribeiro, nasceu no Porto. É colaboradora regular no jornal Público. Viveu em Cuba e Inglaterra.

 

Hélia Correia, nasceu em Lisboa. Recebeu o Prémio Camões em 2015. Recebeu vários prémios pelas suas obras sendo um dos grandes nomes da literatura portuguesa.

 

Filipa Fonseca Silva, nasceu no Barreiro. Foi a primeira autora portuguesa a atingir o Top 100 da Amazon a nível mundial.

 

Ana Teresa Pereira, nasceu no Funchal. Ganhou o Prémio Caminho Policial em 1989. Já publicou inúmeras obras. Colaborou com os jornais Público e Diário de Notícias (Funchal). Em 2017 ganhou o Prémio Oceanos, sendo a primeira mulher a conquistar o prémio principal.

 

Tatiana Faia, uma jovem poetisa portuguesa. Foi recentemente editada pela Editora Tita da China. Vive em Lisboa.

 

Maria Teresa Horta, escritora, jornalista e poetisa portuguesa. Está ligada a movimentos feministas. É um dos nomes mais importantes da literatura portuguesa.

 

Isabela Figueiredo, nasceu em Maputo. Venceu o Prémio Literário Urbano Tavares Rodrigues. Foi jornalista no Diário de Notícias e é professora de Português.

 

Adília Lopes, poetisa, cronista e tradutora portuguesa. A sua obra já fi traduzida em várias línguas.

 

Dulce Maria Cardoso, nasceu em Trás os Montes. Recebeu o Prémio da União Europeia (2009) e o Prémio P.E.N. (2010)

 

Cláudia R. Sampaio, nasceu em Lisboa. É poetisa. Tem colaborado em várias revistas e antologias de poesia.

 

Raquel Gaspar Silva, nasceu em Évora. Publicou o seu primeiro romance em 2017. Licenciada em Estudos Portugueses pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

 

Ana Luísa Amaral, nasceu em 1956 em Lisboa. É poetisa, tem um doutoramento sobre a poesia de Emily Dickinson. Organizou o projeto “Cartas Portuguesas – edição comentada”.

 

Inês Pedrosa, nasceu em 1962 em Coimbra. Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Foi diretora da Casa Fernando Pessoa entre 2008 e 2014. É autora de vários romances, recebeu inúmeros prémios pela sua obra.

 

 Mais listas | Sugestões de Leitura

 

Os Meus Nóbeis Preferidos

15 Escritores com Blog

15 Escritores que Influeciaram a Minha Vida

 

 goodreads twitter instagram facebook

33 COISAS PARA FAZER AOS 33

InstaFit_20180107_19480615.jpg

 

 

Acabei de completar 33 anos (no dia 6 de Janeiro). Tive direito a mimos e surpresas. Passei o fim de semana junto das minhas pessoas preferidas. Claro que pensei muito na vida, nas diferenças do ano passado. Tantas. Não sinto nenhuma espécie de ressentimento, estou grata. Mas a vida não é perfeita. Não sou profissionalmente realizada, apesar de estar a tratar do assunto. Adorava estar cheia de planos profissionais a esta hora do campeonato e sonhos realizados. Uma grande mulher de sucesso, mas não é o caso. Os meus sonhos realizam-se aos poucos, devagarinho. Acabei por colocar outras coisas à frente.  Acabei por adiar, deixar passar a vida ao lado durante alguns anos. O lado bom disto tudo é que tenho uma família e isso ninguém me pode tirar. Tenho conforto, saúde, estabilidade e um grande amor do meu lado. A ideia não é ter tudo, claro. É ter o suficiente. O suficiente eu tenho e sinto-me grata por isso. Não sou mal agradecida. Só almejo trabalhar de forma consistente na área que mais amo. Não peço mais. Mais trabalho do bom. 

 

Estou muito diferente do ano passado. Não faço fretes, digo "não" e já não revelo tudo a sete ventos. Sou mais espectadora. Mais reservada (ainda podia ser mais). Os meus gostos, os meus objetivos são totalmente diferentes do ano passado. O clique deu-se ao longo do ano passado. As amizades também são cada vez menos, no entanto relaciono-me com mais pessoas. A minha vontade de aprender é cada vez maior. A nível profissional as coisas também estão a mudar. Alguns sonhos estão a compor-se. Até o meu blog mudou. Tenho a mesma sede de vida, a mesma garra e estou pronta para os desafios da vida. Só precisava de moderar certas coisas. Parar de confiar em toda a gente.  Revelar demasiado. Não chamar amiga a quem só quer conhecimentos. Amor, paz e sossego. Menos ruindade. 

 

Esta é a minha lista de 33 coisas que pretendo fazer com 33 anos. 

 

- Andar de patins

- Viajar  

- Presentear um desconhecido

- Escrever uma carta

- Plantar uma árvore

- Criar uma mini horta

- Aprender uma receita angolana

- Aprender um novo penteado

- Pintar o cabelo num tom ousado (tinta temporária)

- Comprar o stilleto nude perfeito

- Fazer piquenique na praia

- Ir ao Rock in Rio

- Ir a um museu

- Ir a um bailado

- Ir a um evento literário

- I a um evento geek

- Ir a um evento regional

- Ir a um SPA

- Provar um alimento novo

- Fantasiar-me

- Ir à Feira da Ladra

- Ir a um encontro de bloggers

- Ler um livro em inglês

- Dançar com amigos

- Fazer um workshop giro

- Comprar uma mini saia

- Arranjar o computador

- Aprender novas técnicas do photoshop 

- Comprar um bom creme anti rugas

 - Dar uma festa

- Fazer um investimento financeiro

- Criar um novo hábito

- Apostar no casino

 

 goodreads twitter instagram facebook

RITUAL DE ORGANIZAÇÃO PARA O NOVO ANO | DICAS

InstaFit_20180104_12335594.jpg

Janeiro é o mês do recomeço. É importante o equilibro emocional para começar o ano com o pé direito. Gosto bastante de concluir várias tarefas antes do ano encerrar. Entregar aquele livro emprestado, resolver um assunto bancário, limpar uma divisão da casa desprezada, não deixar a roupa por passar a ferro. Esse género de coisas, estão a entender?

 

Partilho uma lista do que podemos fazer para começar o ano de forma mais organizada e simplificada. São coisas simples que podem mudar o teu ano ou a forma como olhas para ele.

 

- Limpar o e-mail

Abrir a caixa de email e ver mais de dez e-mails por ler, sobretudo publicidade, incomoda-me.  Apagar ou guardar nas devidas pastas conforme o assunto deixa-me mais leve. Antes do ano terminar costumo limpar tudo. Também acabo por cancelar várias subscrições ou publicidade. Ao longo do ano é mais simples organizar o trabalho com uma caixa de e-mail limpa e organizada.

 

- Limpeza nas redes sociais

Esta é uma tarefa anual e necessária para a minha paz mental. Para além de ter apagado o Facebook do telemóvel (devido à falta de espaço, perda de tempo e gosto pessoal) fiz a limpeza a todas as redes sociais. Anulei a subscrição de alguns canais literários ( todos os que não assistia há mais de seis meses). Deixei de seguir algumas contas do instagram (fotos feias, perfis com roupa de marcas mais do mesmo).

No Twitter fiz o mesmo com contas desinteressantes, pouco ou nada atualizadas. Também bloqueei pessoas que insistiam em mandar-me indiretas, não subestimem a inteligência dos outros). Pessoas que embirram se lês muito, se contas páginas, se lês deitada ou não fazes um estudo personalizado sobre cada livro. Deixei uma conta ou outra porque o mundo não é perfeito, temos de ter pessoas com opiniões diferentes das nossas no mesmo circulo para colocar tudo em perspetiva.

 

- Organizar fotos

Apaguei a maioria das fotos do telemóvel. Guardei somente as mais especiais. Fiz o mesmo no portátil. As miniaturas usadas ao longo do ano e as fotos de livros foram eliminadas do meu portátil. O telemóvel ficou com mais espaço e leve. Não sei porque insisto em guardar tanto printsreen. Vocês também são assim? Agora tenho uma pasta onde tenciono guardar as fotos usadas nos meus vídeos ao longo do ano.

 

- Organizar a secretária

Final do ano também é hora para fazer a limpeza aos papéis. Felizmente não tinha muita coisa para deitar fora, mas consegui organizar a secretária e deixar tudo pronto para o próximo ano letivo. Canetas sem tinta, marcadores, extratos do multibanco foram todos para o lixo. Maravilha.

 

 

- Mala e carteira

Esta é a tarefa mais simples e rápida. Despejar tudo o que está dentro da mala e da carteira e mandar para o lixo o que não faz falta. Também tinha praticamente tudo organizado dento delas, mas há sempre alguma coisa a mais.

 

- Limpeza no frigorifico

Hora de deitar os alimentos estragados, fora da validade. Queremos um frigorifico pronto para encher de comida saudável, não é verdade? Eu adoro a primeira ida ao supermercado. Tento trazer novos produtos para experimentar e estou normalmente cheia de vontade de cozinhar novos pratos.

 

 

Espero que esta lista tenha sido útil. Normalmente são estas tarefas que guardo para os últimos ou primeiros dias do ano. E por aí? Costumam ter algum ritual de organização no final do ano?

 

 

OS TEXTOS MAIS LIDOS EM 2017

 

 

Quais foram os textos mais lidos neste blogue durante o ano de 2017? A maioria são textos de opinião. Claramente são estes os textos que dominam este espaço. Sempre foi o assunto central. Mas existem algumas surpresas, nem só de opiniões literárias vive este blogue. Vamos conhecer os que suscitaram mais interesse? Estão todos devidamente linkados para poderem aceder aos textos. 

 

A Rapariga no Gelo, de Robert Bryndza

Sem dúvida que este deve ter sido a opinião mais procurada e lida neste blogue. Foi um livro que me desiludiu bastante ao contrário das inúmeras opiniões positivas espalhadas por aí. Ao contrário do que esperava não recebi muitos comentários negativos neste post. Acho que é um sinal bonito de que estamos a começar a aceitar as opiniões alheias. 

 

Escrito na Água, Paula Hawkins

O regresso da Paula Hawkins também despertou muita curiosidade. Tem uma capa linda e as expectativas estavam em altas. Na verdade não amei este livro, mas acho que a autora cresceu ligeiramente. 

 

A Rapariga de Antes, JP Delaney

Um thriller que acabou por ser uma desilusão e consta no meu vídeos de piores leituras de 2017. A narrativa é rasa, o final pouco surpreendente. Mas tinha tudo para dar certo. Infelizmente não funcionou para mim. No entanto este post esteve sempre nas leituras mensais favoritas do blogue. Acho que a sinopse despertou o interesse dos seguidores deste blogue.

 

O Caminho Imperfeito, José Luís Peixoto

Era um livro que esperava há muito tempo. Amei e foi uma experiência de leitura bastante enriquecedora. Os leitores sentiram empatia com esta capa e mostraram muita curiosidade em relação a este livro. Tem uma capa fantástica, não tem?

 

7 Factos Saramanguianos Sobre Mim

Mais uma vez não deixei a data de aniversário de Saramago passar em branco e dediquei-lhe este texto. O feedback por parte dos leitores foi espectacular. 

 

Agradecimentos e Outros Brindes 

Momentos de festa unem leitores. Foi bom sentir o carinho de todos. A vontade de continuar por aqui é cada vez maior. E apesar de algumas coisas menos positivas estou forte e firma em continuar o meu trabalho. 

 

10 Coisas Que Aprendi com Os Blogues

Este é aquele género de texto que mudaria várias coisas agora. Acrescentava outros pontos e sinto necessidade de uma reciclagem. Passaram apenas quatro meses, mas desde aí que muita coisa mudou e mais ensinamentos tive. 

 

Os Clássicos Estão Vivos na Feira do Livros

Este foi um dos post mais lidos também. O clube de leitura teve o seu segundo encontro. foi possível encontrar pessoas que só lia ou via nos canais. Depois deste dia muita coisa mudou. Felizmente para melhor. Algumas relações estreitaram-se. E quando pensava que era impossível criar ligações com isto dos blogues eis que sou completamente apanhada desprevenida. Digamos que foi o ponto de viragem, com respostas claras e mudanças necessárias. 

 

Entrevista à Autora Anabela Mota Ribeiro

A entrevista mais lida neste espaço foi esta. Tinha lido o ensaio sobre Machado de Assis e tive a oportunidade de fazer esta "brincadeira" durante o periodo da Feira do Livro. Quis fazer algo diferença nesta altura e consegui trazer algumas entrevistas. Gostei bastante. 

 

 

Contem, quais foram os textos que mais gostaram de ler no blogue? Gostam de algum desta lista?

 

 goodreads twitter instagram facebook

METAS E OBJETIVOS PARA 2018

 

 

Chegou aquele momento do ano de fazer o balanço de 2017 e criar uma lista de metas e objetivos para 2018. No final do ano agarramos na lista e voltamos a fazer o balanço.

 

Escolhi planos simples para a vida escolher o resto por mim. Escolhi coisas que dependem de mim para serem cumpridas. Com sonhos alcançáveis.

 

 

Ser mais flexível comigo e com os outros

Dar prioridade à saúde

Comer melhor, preparar as marmitas semanalmente

Deixar o telemóvel fora do quarto na hora de ir para a cama

Começar a andar de patins

Terminar o primeiro ano do curso com sucesso

Ler menos

Mais cultura na minha vida (eventos, exposições, concertos, museus, feiras arte, cinema)

Conhecer mais uma capital mundial e fazer uma viagem em grupo

Usar bastante as minhas agendas e o Bullet Journal

Só comprar 5 peças de roupa por estação

5+1 , após cinco leituras concluídas compro livro

52 semanas de poupança

 

Tenho outros planos, mas prefiro só partilhar quando alcançar o pretendido. Não se esqueçam que não devem partilhar tudo. A mente gosta de colocar como executado as metas quando estas são partilhadas e divulgadas. Sugiro que coloquem as vossas metas bem visíveis (na agenda, bullet jornal, escritório, telemóvel) de forma a baterem os olhos regularmente ao longo de 2018. E acreditem ou não, algumas pessoas não querem o vosso bem. Convém guardar algumas coisas. Segredos são sempre bem-sucedidos.

 

Desejo a todos um excelente ano, uma lista de metas concretizadas e boas energias para os novos 365 dias da vossa história.

 

5 LUGARES PARA OS AMANTES DOS LIVROS VISITAREM EM PORTUGAL

Casa Andresen Fonte: My Own Portugal

 

 

Na verdade, escolhi cinco lugares que pretendo visitar no próximo ano. Esteja chuva ou sol, vento ou um bafo aterrador. Quero conhecer mais espaços bonitos e respirar cultura. Escolhi lugares que me parecem encantadores, de fácil acesso, para apaixonados por livros, poesia e comida. Lugares que já devia ter conhecido, mas andei a adiar. Fica a sugestão para conhecermos mais o nosso lindo país.

 

Biblioteca dos Coruchéus, em Alvalade

A biblioteca fica no Palácio dos Coruchés. Parece ser um lugar muito acolhedor. Adoro visitar bibliotecas, depois de vários convites preciso parar de adiar. É tão pertinho.

Fonte:Público

 

Candelabro, no Porto

Saudades desta cidade. No próximo ano não vou deixar de visitar o Porto e comer uma francesinha. Também pretendo passar no Candelabro e conhecer este espaço acompanhada de um copo de vinho.

Fonte: TripAdvisor 

Casa AndresenJardim Botânico do Porto

Preciso de ir conhecer a casa onde brincava Sophia Mello Breyner Andresen e Ruben A. Restaurando em 2011 foi aberto ao público nessa altura. O lugar parece tirado de um conto de princesas.

 

Casa Fernando Pessoa, Lisboa

É obrigatório uma visita a este espaço. É inaceitável nunca ter conhecido. Foi criada em homenagem ao poeta, e concebido como “casa de poesia”.

Fonte: CM Lisboa 

Restaurante Book, Porto

É na antiga livraria Aviz. Um restaurante com livros por todo o lado, com bebidas com nomes de autores. Mojito Hemingway, Caipirinha Cravo e Canela, tem tudo para dar certo. Segundo as minhas pesquisas o espaço conta com música depois das refeições.

 

Fonte: The Fork

 

 

OS MEUS NÓBEIS PREFERIDOS

tempImage (3).jpg

vencedor deste ano (2017)

 

 

Em Outubro foi anunciado o vencedor do Prémio Nobel da Literatura. A Academia Sueca escolhe um escritor todos os anos, sendo este um prémio polémico e pouco coerente em determinadas escolhas.

 

Costumo estar atenta ao nome vencedor e ter grandes surpresas após a leitura das obras dos designados vencedores. Conheci obras e autores fantásticos que talvez tivessem passado despercebidos se não integrassem esta lista. Herman Hesse, Ernest Hemingway, Yasunari Kawabata, Gabriel Garcia Marquez, Albert Camus, Toni Morrison, Alice Munro, entre outros. Hoje quero partilhar os meus nóbeis preferidos, indicando as duas obras preferidas. Escolhi apenas autores que li duas ou mais títulos.

 

Espero que gostem e não deixem de me dizer qual o vosso Nobel preferido e o livro. Mais sugestões são sempre bem vindas. 

 

tempImage (4).jpg

 

 

John Steinbeck

Nobel em 1962

 

As obras preferidas: "Ratos e Homens" (1937) e "As Vinhas da Ira" (1932)

 

Gosto sobretudo da dureza e realismo que coloca nas suas histórias. São episódios muito tristes e cruéis. Os dois livros tiveram um impacto enorme em mim e nunca os esquecerei. Para mim são duas obras primas da literatura mundial tal a sua complexidade e grandeza. Quero ler mais livros do autor. O título que mais me desperta interesse é "A Leste do Paraíso".

 

 

Samuel Beckett

Nobel em 1969

 

As obras preferidas: "Ah, os Dias Felizes,Não Eu" e "À Espera de Godot"

 

Este autor marcou-me, mexeu na ferida. Foi ao meu lado mais profundo e fez-me pensar. Mudou sem dúvida a minha perspectiva em relação ao tempo, à vida. É fenomenal. Pretendo ler "Watt".

 

 

 

 

José Saramago

Nobel em 1998

 

As obras preferidas: "O Ano da Morte de Ricardo Reis" (1984) e "As Intermitências da Morte" (2005)

 

 Gosto da genialidade e da critica contida nos seus livros. Surpreendo-me sempre que leio um livro de Saramago. Nunca fiquei desiludida com nenhum. O seu estilo é único, uma mistura de ironia sombria e delicadeza. Quero ler todos os seus títulos, o próximo será "O Evangelho Segundo Jesus Cristo".

 

 

 

Orhan Pamuk 

Nobel em 2006

 

As obras preferidas: "O Museu da Inocência" (2008) e "Uma Estranheza em Mim" (2014)

 

Gosto muito da sua sensibilidade. A forma como conta as histórias sobre as pessoas do seu país. É um excelente contador de histórias! Fico completamente ofuscada pela sua voz narrativa. Quero ler "Neve" e o seu livro de não fição "Outras Cores". 

 

 

 

 

 

 

 

Mário Vargas Llosa

Nobel em 2010

 

As obras preferidas: "Travessuras da Menina Má" (2006) e  "O Herói Discreto" (2013)

 

Uma das minhas personagens femininas preferidas de sempre é a Lily, a menina má. As suas personagens são sempre inesquecíveis. Adoro a forma singela com que conta as historias enquanto revela a realidade e mística das suas raízes. Quero ler a grande obra "Conversas na Catedral".

 

 

 

Svetlana Alexijevich

Nobel em 2015

 

As obras preferidas: "As Vozes de Chernobyl" (1997) e "A Guerra Não tem Rosto de Mulher" (1985)

 

Graças a este prémio tive a possibilidade de ler dois grandes livros de não fição. É um trabalho impecável da autora que considero necessário e urgente.  São relatos duros e intenso. Obras maravilhosas. Quero ler tudo o que ela escreveu.

 

goodreads twitter instagram facebook 

 

 

 

O ESCRITOR PREFERIDO DOS PORTUGUESES | COMENTÁRIOS E LISTA

Olá! Este vídeo é o inicio de um projeto especial sobre literatura portuguesa com a participação de mais booktubers. Começo eu e podes já conferir quem será o próximo canal (24 sugestões). Vou dar várias sugestões de autores portugueses maravilhosos e gostava muito que me indicassem mais autores. Se sentiram falta de algum nome. Aliás, quando foi a última vez que leste um autor português?

 

Canal da Holly Reader: AQUI

 

A lista dos autores está na caixa de informações no canal. 

 

goodreads twitter instagram facebook

leitora beta * divulgação * literatura *

contacta-me para mais informações contactoclaudiaoliveira@gmail.com

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D