Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

4 THRILLERS PARA LER NAS FÉRIAS DE VERÃO

 

InShot_20180809_144927120.jpg

 

Ao longo dos anos tenho vindo a gostar de ler cada vez mais thrillers. Culpa da Suma de Letras, com os seus lançamentos sempre tão cativantes. Confesso que foi graças a ela ( e à Menina dos Policiais) que acabei por ter cada vez mais paixão pelo mundo do crime. Conheci vários títulos super envolventes e alguns acabaram até por integrar as melhores leituras dos anos passados. Falo no caso de Menina Boa, Menina Má e de Confissões. Se me pedem livros viciantes e perturbadores, estes são os títulos que recomendo sempre.

 

Estou sempre de olho nas novidades e acabei por selecionar quatro títulos da minha estante que pretendo ler este verão. São novidades da Suma de Letras e aposto que vou adorar ler nas férias que se aproximam. Quem mais por aí é team "thrillers nas férias"?

 

A Última Travessia, Lone Theils

Duas jovens desaparecem, sem deixar rasto, a bordo de um barco com destino a Inglaterra, em 1985. Este thriller escrito pela dinamarquesa Lone foi  inspirado num caso verídico ( o que só aumenta a curiosidade). O que terá acontecido a estes duas adolescentes?

 

Monteperdido, Agustín Martínez

O thriller está a ser um sucesso mundial. Conta a história de duas meninas de onze anos de uma pequena aldeia dos Pirenéus, saem da escola e dirigem.se a casa, mas nunca chegam a casa. Ninguém as vê. Mais um caso de desaparecimento de meninas, com um ritmo cinematográfico. Estou mais do que curiosa. 

 

A Mulher Entre Nós, Geer Hendricks & Sarah Pekkanen

Acho absolutamente interessante o facto deste livro ter sido escrito por duas mulheres. Só tenho ouvido criticas positivas e de todos acho que e o mais comentado. Conta a história de duas mulheres diferentes, com vidas distintas, casamentos, chamadas misteriosas. Não quero deixar de ler. 

 

A Casa da Beleza, Melba Escobar

Uma história que mostra o pior da América latina, tendo como cenário um salão de beleza dando voz a três mulheres. É o livro mais curto da pilha, mas tenho a sensação que será lido num fôlego. 

 

Já leram algum título? Qual a história que vos parece mais interessante?

 

 goodreads twitter instagram facebook

6 COISAS PARA FAZER QUANDO TERMINAMOS DE LER UM LIVRO

InShot_20180804_103721278.jpg

 

Custa fechar um livro e dizer adeus a algumas personagens. Também nem sempre temos vontade de partir para outro mundo literário e acabamos por dar mais tempo para transitar para uma nova leitura.

 

Existem 5 coisas que podemos fazer antes de dar lugar a uma nova leitura. O que vou partilhar hoje é exatamente aquilo que eu faço sempre que fico a chorar o desfecho de um livro ou fico histérica com o talento do autor. 

 

Procurar a adaptação cinematográfica

Se existir, costumo ver o filme de forma a rever as personagens. É uma forma de manter a cabeça na história e não despedir-me bruscamente do livro. Tenho tido mais surpresas do que desilusões. Mas nem sempre acontece, claro. Outra moda que eu tenho gostado bastante é o aparecimento de séries adaptadas, sempre posso ficar por muito mais tempo ligada à história. 

 

Pesquisar entrevistas com o autor

Se a narrativa me interessou é tiro e queda. Quero saber mais e busco novas informações sobre o(a) autor(a). Gosto de conhecer os seus princípios e como encara a literatura. 

 

Ler mais opiniões no Goodreads

Gosto imenso de ver o que os outros dizem dos livros que andei a ler. Então, depois de ter a minha opinião formada, leio as opiniões dos outros e tiro novas conclusões. Acho muito interessante o facto de termos todos gostos muito diferentes e cada um tirar uma experiência muito particular em relação à mensagem dos livros. 

 

Procurar vídeos no YouTube sobre o livro

Quando gosto muito ou pouco de um livro vou à procura de novas perspectivas em relação a ele. É bom encontrar leitores com quem nos identificamos e podemos trocar um ou dois comentários sobre a nossa opinião. Ou então ouvir uma opinião negativa de acordo com a minha opinião de forma a não me sentir tão sozinha. Gosto de discutir alguns pontos da história e perceber o que os outros gostaram ou não. 

 

Ir aos sites da editora procurar por mais livros 

Isto só acontece quando gosto muito de um livro. Procuro logo se existem mais livros do(a) escritor(a) disponiveis em Portugal e por norma costumo encomenda ou adicionar à minha lista de desejos. 

 

Enviar email ou mensagem ao autor

Quando fico doida com a história acabo por procurar os autores nas redes sociais e expressar o meu amor pelo seu trabalho. Deve ser maravilhoso receber o feedback dos leitores, penso eu. 

 

E por aí? Também costumam ir à procura de mais informações sobre os vossos livros preferidos?

 

 goodreads twitter instagram facebook

7 CARACTERÍSTICAS DO LEDA (LIST EVERY DAY IN AUGUST)

InShot_20180731_214644486.jpgQuem gosta de listas, assim como eu, levante os braços! Adoro uma boa lista recheada de sugestões buenas. Então, Agosto será o mês de... LEDA. A miúda está doida, o que é isto? Conhecem o VEDA (Video Every Day in April/August), certo? Adoro acompanhar o VEDA do pessoal para ver o poder da criatividade e resistência. Olhem que não é fácil. O ano passado fiz VEDA no YouTube e foi cansativo. A playlist dos 31 vídeos está AQUI, se quiserem ver. Deu para falar de vários temas: literatura, cinema, alimentação, feminismo, editoras e até mostrar um bocadinho mais de mim. Se valeu a pena? Sim! Adorei a experiência. E fiquei com saudades dessa adrenalina. Portanto, cá estou. 

 

Desta vez decidi tornar as coisas um bocadinho diferentes e transformar o VEDA em LEDA (List Every Day in August). Trinta e uma listas ao longo de trinta e um dias. Já tinha pensado fazer isto em Abril, mas deixei para lá. Pesquisei e não encontrei nada deste género. É agora! Agora é que é. Vou aventurar-me. E vocês, se quiserem juntem-se a mim e vamos nessa.

 

Ao contrário dos meus planos, não será em formato vídeo, será em formato texto. Até porque é bem mais fácil vocês tirarem as dicas, voltarem a pesquisar com facilidade e podem ler na praia sem áudio, em qualquer lugar, até porque nem toda a gente está de férias. Eu só vou de férias em Setembro e o blog também. Até lá, irei criar conteúdo, mexer as ideias e ver o que sai daqui. 

 

E começo com a primeira lista dedicada ao LEDA. Acho que faz sentido, preparar as pessoas para o que vem aí. 

 

 6 CARACTERÍSTICAS DO (meu) LEDA 

 

Pretendo criar listas com os mais diversos assuntos

As listas do meu LEDA não serão exclusivamente dedicadas à literatura ou ao cinema. Podem esperar listas com dicas relacionadas com gestão de tempo, rotina, organização, poupança, vida de mãe, coisas desse género. 

 

Quero dar asas à imaginação

Acredito piamente que tudo pode ser transformado em listas. E a ideia é desenvolver a criatividade com esse objetivo. Quero ver até onde esta cabeça consegue ir, quero romper com os meus próprios limites. A ver se não apanho muito sol na moleira de forma a não queimar mais parafusos. 

 

Não tenho nada planeado

Não acredito muito em musas inspiradoras, quero escrever o que me apetecer no momento. Claro que vou agendar um ou outro texto para o fim de semana (até porque vou ter direito a alguns fins de semana fora desta terrinha), mas quero que seja o mais natural possível e de acordo com o meu estado de espirito. 

 

Quanto mais criar, mais crio

Houve uma coisa que aprendi com o desafio #6amclub (e ela a dar-lhe com o projeto de acordar cedo) que nunca mais me vou esquecer. Quando tu crias um hábito, ele desenvolve, ele ganha raízes. Ou seja, quanto mais escreves, mais escreves. Lógico, não é? Mas é mesmo assim. Parece que nasce uma qualquer máquina dentro de ti que não te deixa adormecer. 

 

Não haverá contagem

O que quero dizer com isto? Normalmente para fazermos a contagem do VEDA, escrevemos o número no título dos vídeos. Eu não vou escrever nada para além do nome da lista. Primeiro, é mais fácil pesquisar no futuro e fica mais bonito esteticamente. E toda a gente sabe que cada lista está agregada a um dia do mês de Agosto, portanto é simples. A hashtag será #LEDA2018 para depois ser mais simples criar a playlist. 

 

Não terá um horário fixo

Sem pressões, com leveza. 

 

Instrumentos de trabalho

Vou ter o auxilio do meu bullet journal e do calendário que vou preparar ainda. Vou usar várias páginas soltas para criar mapas mentais com ideias para as listas. Vou usar as pessoas para inspirar-me. Claro, o meu notebook, o silêncio e o café. Chega. 

 

E pronto, chegámos ao fim da primeira lista. Foi fácil. Espero ter sido muito clara, mas qualquer pergunta é simples: mensagem ou comentário. Desejo um excelente mês de Agosto para todos os leitores. Boas leituras, água fresca e saúde na venta. 

 

Gostam de listas? Ficaram empolgados para acompanhar? Acham que consigo ou que será muito difícil? Vão fazer VEDA? Gostam de acompanhar? Querem ver alguma lista especifica por aqui?

 

 goodreads twitter instagram facebook

6 FACTOS SOBRE A MINHA RELAÇÃO COM OS LIVROS

20180419_094416_0001.png

 

 

- Começo um livro novo todas as segundas-feiras

É a minha forma de iniciar as semanas da melhor forma possível. Faço questão de terminar uma leitura todos os fins de semana e escolher a próxima leitura como um ritual lindo de sobrevivência dentro da rotina, das tarefas, do stress. Este é aquele momento que não dispenso por nada este mundo. Todos temos formas diferentes para enfrentar as semanas e a despedida do descanso, este foi a forma que eu encontrei há uns aninhos e continua presente nos meus dias. 

 

- Vou regularmente à biblioteca

Descobri que as visitas às bibliotecas são muito importantes para aumentar as compras das mesmas. O interesse do público é analisado através do número de empréstimos, consequentemente o valor financeiro dispensado para a cada biblioteca. Para existir interesse dos municípios na compra de livros, tem de existir interesse dos visitantes em ler. Faz sentido, não é? Não é tão preto no branco, mas acho que passei a mensagem. Portanto, apesar de comprar livros todos os meses, costumo visitar a biblioteca uma ou duas vezes por mês. É um assunto que me interessa, receio o abandono das bibliotecas e para contrariar isso faço sempre o meu papel. 

 

- Adoro doar livros

Com alguma frequência costumo separar alguns livros e doar. Não gosto de acumular e olho para os livros como conhecimento. Para mim nada é mais triste do que livros parados na estante a ganhar pó sem novos leitores, sem voltarem a ser lidos. Talvez a culpa seja do meu percurso como leitora. Quando não trabalhava, até aos quinze anos, foi a biblioteca que me garantiu aumentar a minha paixão pela literatura. Desta forma, o meu pensamento costuma estar na falta de acessibilidade de quem ama ler, mas não pode. Ou quer muito uma novidade que viu nas redes sociais e infelizmente não pode comprar porque tem outras prioridades. A sorte que eu tenho de não ter crescido leitora nesta altura. Ia sofrer bastante. Como recebo vários livros das editoras, após a leitura dos mesmos, faço a doação. Mas também faço doações de livros comprados da mesma forma. Claro que guardo os preferidos para outros ocasiões, empréstimos, filhos e releituras ou consultas. 

 

- Voltei a viciar-me no Goodreads

Houve uma altura em que desliguei da plataforma, mas há uns meses para cá não passo um dia sem lá entrar para atualizar as minhas leituras e espreitar as leituras dos outros. Se quiserem seguir a minha conta, aqui está. Consigo organizar as leituras da forma que mais me interessa e ver os comentários dos outros leitores em relação a determinadas obras. Adoro.

 

- Escolho muito bem os canais e blogues literários que sigo

Já houve uma época em que seguia tudo, lia tudo, comprava tudo. Até era amiga de tudo e todos. Depois a histeria passou e passei a seleccionar muito bem onde e com quem gasto o meu tempo nas redes sociais. Acabei por ler apenas e somente os blogues das pessoas com os gostos muito semelhantes aos meus, ou "peritas" em determinado género. Só leio o melhor blog de thrillers e sigo o melhor canal sobre clássicos. Estão a ver a ideia? Claro que existem excepções. Gosto de ver vídeos de pessoas com gostos muito distintos mas cheios de carisma (é o caso de dois canais brasileiros que eu sigo). Lamentavelmente, vi os meus canais preferidos encerrarem ao longo dos anos e serem criados escassos canais com gostos semelhantes aos meus ou com conteúdo do meu agrado. Quando gosto de um blogue, amor para a vida. Sou fiel a uma mão cheia e nada mais do que isso. Não se pode ter tudo. E para gastar tempo, prefiro estar a ler o meu livro. Para além disso, parece que as parcerias agora comandam a vida e as opiniões alheias. São poucos os que considero canais ou blogues credíveis. E não estão a ganhar dinheiro, imagino se estivessem. O que as pessoas fazem por dois ou três livros, é incrível.  Sorry not sorry.

 

- As minhas compras literários têm diversas influências 

Mudei imenso o meu comportamento a nível de compras literárias. "Ah, pois, recebes livros, por isso é fácil para ti comprar livros". Malta, é bastante raro receber livros que estão na minha lista de desejos. E foi complicado para mim encontrar este equilíbrio. Recebo livros há cerca de três anos, comprava imensos livros há vários anos. E compro praticamente todos os meses. Eu não peço dois ou três livros por editora (até é bastante raro solicitar livros agora) e vocês sabem que costumam sair imensas novidades por mês. Leitor que é leitor acaba por comprar os seus queridinhos regularmente. Adoro os Momentos Wook, aproveito quase sempre. Comprar livros sem estar em promoção não está com nada. Atualmente estou muito contente porque não me deixo influenciar por qualquer pessoa. Temos de seguir critérios, não é? Gosto de ler opiniões antes de ter os livros e são raras as vezes que alguém me convence a comprar o livro a correr e a saltar. Mas acontece, não sou de ferro, tá? "Ah, mas tu gostas de ler opiniões antes de comprar ou ler os livros?".   Então, mas tem alguma lógica, eu sendo blogger cheia de vontade de meter malta a comprar e ler livros, através do meu trabalho, não procurar o mesmo nos outros? Quando oiço algumas bloggers ou youtubers dizerem "não leio/vejo opiniões antes de ler o livro" faço duas ou três perguntas em silêncio enquanto reviro os olhos. Coerente. Mas aqui também há excepções. Quando já decidi que quero o livro X ou Y, nem sequer leio nenhuma opinião. Quando o livro já chama por mim, também dispenso. Quero ir em branco, quero descobrir, quero desfrutar. Aconteceu com a Celeste Ng, vi as estrelas no Goodreads, vi o booktube estrangeiro falar nele, mas nem quis ouvir nada sobre a história. Isto parece confuso, mas na minha cabeça faz muito sentido. 

 

 

Também adoras o Goodreads? Também segues meia dúzia de blogues ou estás nem aí para opiniões alheias? Segues algum critério nas tuas leituras? Também perdes a cabeça com promoções e campanhas? 

 

 goodreads twitter instagram facebook

TAG | 7 PROVÉRBIOS 7 LIVROS

 Hoje venho responder à TAG original criada pela mar no seu blog. Ela pegou em sete provérbios portugueses e levantou sete questões relacionadas com livros. Deu que pensar. Vejam se conhecem todos os provérbios e quais as respostas que davam (deixem nos comentários ou façam no nosso blog).  

 

1 - A pensar morreu um burro.

Um livro que enrolou, enrolou, enrolou e parecia nunca mais chegar ao fim.

 

 

"Escrito na Água", da autora Paula Hawkins. Que livro tão doido e chato. Muitas personagens, muitos pontos de vista e o final foi pouco surpreendente.

 

2 - Mais vale tarde que nunca.

Um livro de que não estavas a gostar muito, mas depois *puff fez-se luz* teve um final muito bom.

 

"Os Loucos da Rua Mazur", João Pinto Coelho tem a tendência de deixar o melhor para o fim. Não é que tenha sido o melhor final de sempre, mas gostei bem mais do que o resto do livro. 

 

3 - Antes só que mal acompanhado.

Um livro único (stand-alone) espetacular.

 

"O Meu Ano Màgico" da Nina Sankovitch. De forma a passar pelo luto da morte da sua irmã, Nina resolve colocar um desafio a si mesma, ler um livro por dia durante um ano e escrever a opinião do mesmo no seu blog. Adoro. Os livros são remédios para a alma. O livro está esgotado na Wook, mas podem comprar o ebook e começar a ler agora mesmo. 

 

4 - A galinha do vizinho é sempre melhor que a minha.

Um livro muitas vezes comparado a livros ou sagas populares, mas que ficou um pouco abaixo das expectativas

 

 

"Café Amargo", Simonetta Agnello Horbny. O livro é bom, mas foi comparado à série da Elena Ferrante. Nada a ver. Fiquei um bocado desiludida em relação a isso, mas até gostei do romance. 

 

5 - Para bom entendedor meia palavra basta. 

Um livro curto, mas bom.

 

 

"Leite e Mel", da Rupi Kaur. Que livro, amo cada pedaço dele.  Chorei, abracei-o e nunca o esqueci. 

 

6 -Todos os caminhos vão dar a Roma.

Um livrou e/ou universo literário para o qual gostavas de viajar.

 

Levem-me para Itália para pisar os mesmos lugares que Lila e Elena conheceram. 

 

7 - Quem te avisa teu amigo é.

Recomenda três livros.

 

 

 

 

 

 

 

 

Ora bem:

"O Lobo de Wall Street", Jordan Belford

Uma biografia espetacular, muito bem escrita. Aproveitem e vejam o filme também. 

"História de um Canalha", Julia Navarro

Devorei este livro. Gosto muito da escrita da autora espanhola. 

"Livrarias", de Jorge Carrión 

Aquele livro para ler e reler. 

5 CONTAS NO INSTAGRAM PARA MÃES (E NÃO SÓ) SEGUIREM

InShot_20180719_120948318.jpg

 

Não escondo de ninguém a minha paixão pelo instagram. Passo algum tempinho generoso a ver stories e a ver fotos. Gosto, o que posso fazer? Não há rede social mais apelativa e interactiva. Lembrei-me que podia partilhar cinco contas para mães ou futuras mães seguirem.

 

São pessoas com as quais me identifico de alguma forma e não perco nenhum storie. Mas claro, estas contas podem ser seguidas por qualquer pessoa, nem sempre o assunto é maternidade. As mulheres não se limitam à maternidade, não é verdade? No fundo são mulheres com problemas e dúvidas reais, cheias de dicas e bom conteúdo. E sem muita publicidade, nos tempos que correm é muito louvável. 

 

As preferidas das preferidas são:

 

Joana Costa Roque | @joanacostaroque

Ela tem vários livros de receitas editados (não vejo a hora de os comprar), tem um blog cheio de receitas chamado As Minhas Receitas e partilha imensos truques e dicas. Adoro quando ela faz o menu semanal e nos mostra como organiza as refeições ao longo da semana. Tem 39 anos, é mãe de três e vive em Coimbra (cidade linda!). Neste momento de 11k seguidores, mas não deixa de responder às nossas perguntas e é sempre muito simpática. Obrigada à Ana Isabel pela sugestão.

 

Birras em Direto | birras.em.direto

A Marta Rodrigues é mãe de um menino e está grávida de um casal de gémeos, a Diana e o Diego. É jornalista e blogger. Faz alguns vídeos, escreve uns textos muito giros e tem apenas 4374 seguidores (acredito que irá crescer muito). É muito bonita e inteligente. Encara a gravidez com dúvidas naturais, mostrando humildade na sua sabedoria. Gosto muito. 

 

Aline Albino | byalinealbino

A brasileira mora em Los Angeles e e fantástica na arte de fazer lettering. Tem fotos e vídeos maravilhosos sobre os seus bullet journal. Neste momento está à espera do seu primeiro bebé e é um doce de pessoa para além de muito criativa e genuína. Não perco os seus vídeos e tem giro seguir as suas dicas. Conta com mais de 73,7K seguidores.

 

Três antes dos Trinta | tresantesdostrinta

A Ana Sousa Amorim tem 30 anos, é mãe de um menino e de um casal de gémeos. Tem apenas 1325 seguidores, mas devia ter mais. O seu blog tem o mesmo nome, escreve de forma muito sincera e irónica. Coisa que eu eu admiro na escrita das bloggers. 

 

Pri Leite | prileiteyoga

A Pri é professora de Yoga, vive em Los Angeles, é brasileira e um amor de pessoa. Já fiz algumas aulas dela através do youtube, e agora vou começar a fazer as aulas para gestantes. Ouvir o seu relato de parto foi incrível e muito emocionante (há vídeo no canal dela) e ver os seus stories traz sempre aquela calma e aprendizagem. Ela toca em assuntos com as quais me identifico e não perco nada. 

 

Se tiverem alguma conta no Instagram para recomendar não se esqueçam de me contar! Espero que gostem.

DEZ LIVROS FABULOSOS ESCRITOS POR PORTUGUESES

IMG_20180708_110714.jpg

 

Decidi criar uma lista recheada de títulos escritos por autores portugueses. São livros que me marcaram muito pelas mais diversas razões. Não quis ir pelas obra mais recorrentes, mas acabei por tropeçar três vezes. Não dava para passar ao lado sem voltar a falar neles. No entanto, acho que vão ter algumas surpresas. A literatura portuguesa é a que mais me apaixona. E assim, como em outras áreas, a literatura está cada vez melhor. Como novos autores, novas perspectivas e opções. Há lugar para todos os gostos, se não somos os melhores do mundo andamos muito perto de o ser. Temos o melhor do mundo, a nossa língua. A mais rica, a mais vibrante e apaixonante. 

 

Se tiverem títulos para me recomendar, ou se ficaram interessados em algum desta lista, sintam-se à vontade para comentar, discordar e acrescentar. 

 

 

Começo pelo titulo com opiniões mais distintas. Ora gostaram muito, ora nem por isso. Eu amei e apesar de não ter gostado muito das obras seguintes, este guardo no coração. No Meu Peito Não Cabem Pássaros, de Nuno Camarneiro. Foi o seu romance de estreia, com uma forte e fantástica narrativa. Para quem gosta de prosa poética, de histórias que não se entregam de imediato, este livro é O livro. 

 

 

 

Vou bater na mesma tecla e recomendar Maria Teresa Horta, a minha escritora portuguesa preferida. Venha quem vier. Já li dois livros e estou a ler o terceiro. Meninas e A Paixão Segundo Constança H são duas obras inigualáveis na literatura portuguesa. A escrita é a perfeição dentro dos requisitos do que é para mim a qualidade. 

 

 

Dias Úteis, de Patrícia Portela é um livro totalmente desconcertante. Fez-me sair da zona de conforto e pedir por mais. Precisamos de mais escritoras como ela, com um enorme domínio e liberdade, mostra que a literatura portuguesa está de saúde e recomenda-se. 

 

 

José Luís Peixoto é um dos mais conhecidos desta lista, mas não podia deixar de sugerir o seu último título O Caminho Imperfeito. Neste livro caminhamos com o autor numa viagem a Banquecoque e a Las Vegas. Somos confrontados com a sua verdade, na esperança de quebrar preconceitos em relação às suas escolhas. Temos um escritor que se divide entre o mais querido, sincero e sensível. 

 

 

Um dos últimos romances escritos por um autor português capaz de me fazer os olhos brilharem foi Hoje Estarás Comigo no Paraíso, de Bruno Vieira Amaral. Confesso que sou um bocadinho exagerada quando me apaixono por um livro ou autor, mas este foi um caso sério. No entanto, com o passar dos meses, o deslumbre apesar de ter atenuado bastante, acabo sempre por pensar nele quando preciso de recomendar um livro que misture realidade e ficção cheio de personagens fáceis de identificar como os nossos vizinhos, o passado ou os encontros ocasionais. 

 

 

 

Aquela leitura obrigatória sobre violência doméstica que devia estar em todos os centros de saúde e bibliotecas na esperança que a palavra fosse passada de boca em boca e o mundo se transformasse num lugar melhor. Falo no título Em Nome da Filha, de Carla Maia de Almeida. Aquele livro que eu li e saí a recomendar a toda a gente do booktube e fora dele. Felizmente muita gente leu e concordou comigo. 

 

 

Karen, de Ana Teresa Pereira. A escritora foi uma surpresa ,sobretudo com este título. A história é construída cheia de mistério e dúvidas. Apesar de curto, as personagens são tão complexas que fiquei encantada. Se na altura não reparei nos "estragos" que a autora fez, meses depois acabei por concluir que a história cresceu em mim e o livro é um dos meus preferidos. 

 

 

 

 

Um dos primeiros livros de poemas de autores portugueses que eu li. Com ele, tive aquele "click" em relação à poesia. Apaixonei-me, simples assim. Escuro, de Ana Luísa Amaral. A sua importância foi o pontapé de partida para um mundo novo e não podia estar mais agradecida. Outro título que eu recomendo para ser o primeiro livro de poemas da tua vida é do poeta Nuno Júdice, A Pura Inscrição do Amor. Que livro magnifico, tem um dos meus poemas preferidos da vida

LISTA DE LIVROS COM PERSONAGENS GÉMEOS

IMG_20180103_135047_HDR.jpg

 

 

Ando cheia de vontade de ler livros com gémeos. E tenho andando a pesquisar livros com gémeos. Acho que li poucos livros com gémeos, mas acredito que existem vários para descobrir.

 

Ontem pedi nas minhas redes sociais que me indicassem livros com personagens gémeos e recebi várias sugestões. Decidi criar esta lista de acordo com as indicações, de forma a que todos pudessem consultar sempre que quisessem. Espero que seja útil para quem tem curiosidade como eu. E se tiverem mais sugestões, digam!

 

 

- Fangirl, Rainbow Rowell

- Colecção Uma Aventura, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

- Harry Potter, JK Rowlling

- Guerra dos Tronos, George RR Martin

- As Gémeas, Enid Blyton

- O Terceiro Gémeo, Ken Follett

- O Deus das Pequenas Coisas, Arundhati Roy

- As Gémeas do Gelo, SK Tremayne

- Irmãs, Claire Douglas

- Duas Meninas Vestidas de Azul, Mary Higgins Clark

- O Ano Sabático, João Tordo

- As Gémeas, Saskia Sarginson

- Louca, Chloé Esposito 

- Vidas Trocadas, Sandra Brown

- Esaú e Jacó, Machado de Assis

- Eu Dou-te o Sol, Jandy Nelson

- Colecção Pequenas Mentirosas, Sara Shepard

- Imagem no Espelho, Danielle Steel

- As Vinte e Quatri Horasdo Diabo, L. F. Moura

- Os Altos e Baixos do Meu Coração, Becly Albertalli

- A Outra Metade de Mim, Affinity Konar

- As Meninas, Lori Lansens

- Uma Dobra no Tempo, Madeleine L'Engle

- As Gémeas, Tessa de Loo

- A Desumanização, Valter Hugo Mãe

- As Raparigas Esquecidas, Sara Blaedel

- Dois Irmãos, Milton Hatoum

- O Décimo Terceiro Conto, Diane Setterfield

- Coleccção Millennium, Stieg Larsson

- The Shining, Stephen King

- Os Gémeos, Manuel Carvalho

- As Benevolentes, Jonathan Littell

- A Última Mentira, Kimberly Belle

- Menina Rica, Menina Pobre, Joanna Rees

 

 

Vou atualizar a lista sempre que encontrar um título novo. Entretanto, já tenho muito por onde escolher. Os livros a negrito foram os que já li. E por aí, recomendam algum?

5 DICAS PARA COMEÇARES A LER AINDA HOJE

facebook_capa_novo_link.png

 

 

Como começar a fazer da leitura um hábito diário. Cinco dicas gerais que só funcionam se as levares realmente em conta. Uso todas e juro que são infalíveis.

 

- Encontra a tua grande motivação

Descobre porque queres fazer da leitura um hábito. Seja porque tens imensos livros por ler na estante, queres atingir uma meta, queres melhorar a tua escrita ou oralidade. Uma grande motivação será um empurrão.

 

- Escolhe o livro certo de acordo com o momento da tua vida

Um livro conectado com o momento da tua vida dá-te mais vontade de passar algumas horas a ler. Por exemplo: Se estás numa fase de reeducação alimentar, livros sobre o tema vai motivar-te. Se descobriste agora a meditação ou o minimalismo, talvez seja boa ideia dares oportunidade a livros sobre organização, desenvolvimento pessoal. Existem livros para todos os gostos e momentos. Podes procurar várias sugestões no meu blog ou nos vídeos. Se quiseres, envia-me uma mensagem ou e-mail para trocarmos dicas.

 

- Faz da leitura um hábito diário, meia hora no mínimo

Reserva meia hora todos os dias para ler. Não custa nada. Prometo. Daqui a pouco, o hábito de leitura estará enraizado. Meia hora só para ti e para a tua história. O teu momento, uma caneca de chá um café e o teu livro. É maravilhoso!

 

- Larga a internet, por um bocadinho

Para leres mais precisas de ter disciplina. Se passares muito tempo nas redes sociais não vais ter tempo. Esta é aquela dica que todos os leitores vão dar. Não dá como evitar. Coloca o telemóvel longe, em modo avião ou desliga. Também podes oferecer-te meia hora de internet depois de algum tempo dedicado à leitura, como uma recompensa.

 

- Encontra outros leitores

Conversar com outros leitores dá um enorme ânimo às leituras. Escutar leitores sobre as suas leituras dá vontade de começar a ler. Quando falamos de livros fazemos de forma tão animada que é impossível não ficares empolgado também. Podes tentar o site Goodreads, a malta dos livros está por lá. Podes entrar num clube literário. Se fores aos encontros do Clube dos Clássicos Vivos vais passar a gostar de ler clássicos, 90% de certeza. Se assistires a vídeos no Youtube sobre livros vais aumentar a tua lista significativamente. Lê blogs sobre livros. Visita bibliotecas. Junta-te a nós se queres ser como nós. Já diz a minha avó.

 

OS LIVROS MAIS MARCANTES DA MINHA VIDA

IMG_20180424_150928_HDR.jpg

 

 

Os livros mais marcantes são aqueles que marcaram um período da minha vida. Não são necessariamente os meus preferidos da vida. Mas podem coincidir ligeiramente. Os livros mais marcantes mexeram tanto comigo, e apesar de não serem obras primas, acabaram por preencher as minhas artérias de sangue quente, emoções, dores de barriga e lágrimas. Até à data de hoje nunca mais saíram da minha cabeça. Podia ser uma lista interminável porque deixo-me envolver muito, mas fiz a devida seleção com cuidado, de forma muito representativa.

 

Vamos a uma lista dos livros mais marcantes da minha vida. Daqui a uns anos voltamos a falar.

 

Menina do Mar, Sophia de Mello Breyner

O meu professor de português fez-me amar este livro. Para além de ter sido muito importante para mim, fez-me representar a peça em Lisboa para várias escolas enquanto caraguejo. É uma história apaixonante que me fez amar o teatro e escrever uma peça que mais tarde a minha turma apresentou na escola. Levo esta memória comigo.

 

A História Interminável, Michael Ende

Descobri a fantasia com este livro. Lembro-me de ficar completamente fascinada e quase acreditar nesta história como real. Era muito pequena, lia livros da biblioteca e era a primeira vez que ouvia falar em dragões. Sério. Este é o livro que recomendo para quem quer começar a ler fantasia. É um bocadinho infantil para os adultos, mas mesmo assim arrisco recomendar a toda a gente.

 

O Mundo de Sofia, Jostein Gaarder

Fiz a transição de livros adolescentes para os livros adultos com este. É um livro de realismo mágico muito interessante que nos mete a pensar. E a desejar que algum coelho nos escreva cartas. Acho que sempre gostei de filosofia por causa deste livro. Chega a um ponto que é aborrecido, mas valeu a pena, foi o momento de viragem.

 

Diário de Anne Frank

Foi o primeiro livro perturbador que eu li. Lembro-me de ter ficado bastante emocionada e de alguma forma chocada. Desconhecia totalmente a história da segunda guerra, era muito nova.  Ler os relatos desta menina foi realmente assustador. Dor, sofrimento, juventude roubada, maldade dos humanos, mortes. Tu estás um meio pequeno, as pessoas parecem todas muito doces e boas, de repente dás de caras com um livro que mostra o pior do mundo. Marcante, muito marcante. O primeiro livro sobre a Segunda Guerra Mundial nunca se esquece. 

 

À Espera de Godot, Samuel Beckett

Este livro fez-me repensar a vida e transmitiu de forma certeira o sentido da vida. Tive uma epifania. Se já sentia a vida como curta para tudo o que queria fazer, este livro sacudiu-me de tal forma que ainda está muito presente em mim. Li-o há cerca de seis anos. Adorava ver esta obra no teatro. Para além, quem conhece este blog desde o inicio sabe que tenho uma história de vergonha alheia devido a este título. 

 

A Mulher CertaSándor Márai

Estava a começar o namoro com o meu atual marido quando peguei neste livro. Envolvi-me de tal forma com a escrita deste autor que acabei por comprar mais livros dele. É de uma sensibilidade incrível. As personagens são muito credíveis e interessantes. Imaginem uma pessoa apaixonada, no meio de um triângulo amoroso a ler sobre outro triângulo amoroso. Apesar do contexto social ser completamente diferente, senti algumas palavras como minhas. Acredito que os livros nos escolhem e que ler o livro certo no momento certo fará do livro uma experiência impressionante. Para além disso, um dia peguei no livro e tinha um bilhete apaixonado dentro dele. Este livro marcou-me imenso como podem perceber. Até deu origem ao nome de um blogue que tive em tempos.

 

Sangue Frio, Truman Capote

Imaginem uma mulher grávida a ler sobre o assassinato de uma família inteira de forma horrenda. Imaginem uma escrita crua e perspicaz. Imaginem todos os detalhes de forma muito realista e envolvente. Lembro-me de morrer de medo de estar sozinha em casa. Vivia numa casa com acesso à rua pela varanda. Ainda hoje sinto os efeitos deste livro.

 

Todos os livros da Elena Ferrante

Estes livros representam-me. Primeiro, a forma como falam na maternidade é a forma como eu vejo a maternidade. A forma como Elena Ferrante coloca uma mulher mais velha a falar sobe os seus filhos, que cresceram e passaram a ser do mundo, é a forma cruel de nos mostrar que os nossos filhos podem ser muito injustos perante o cansaço de uma mãe. As personagens Lila e Lena são de factos muito parecidas comigo. Cresceram num lugar pequeno com sonhos grandes, tal como eu.  A relação delas com a professora, com a mãe, com os rapazes, uma com a outra. Para mim uma história novelesca muito próxima da minha verdade. Se calhar, não é tão novela assim. Se calhar os outros só não tiveram uma vida tão entusiasmante. Sou eu ali. E não existem livros que sejam mais eu do que tudo o que a Ferrante escreveu. Acho que seria doloroso regressar a estes livros, mas vontade não me falta.

 

Um Quarto Só Para Si, Virgínia Woolf

Este livro deixou-me de boca aberta. Foi como abrir a porta para um mundo novo. Para uma forma de ver a vida que eu conhecia, mas ao mesmo pensava que só eu pensava assim. Foi sentir-me abraçada por um amiga. Um sossego no coração. Estás no bom caminho, disse-me a Virgínia Woolf e quando o fez foi no momento certo. Obrigada. Foi o livro que me proporcionou a liberdade que eu precisava para defender os meus ideais. 

 

O Clube dos Poetas Mortos, NH Kleinbaum

Provavelmente será o livro mais curto desta lista. E talvez o menos conhecido. Todos se lembram do filme, mas raramente ouviu falar no livro. Certo? Se viste o filme, não esperes uma cópia quando pegares neste livro. Não é. Mas a mensagem está toda ali, as personagens e as dúvidas que carregam também. Chorei muito com ele. Li quando estava grávida e uma pessoa fica sensível ao quadrado, mas principalmente porque me atingiu em cheio. Bolas, vou ser mãe, não somos eternos e a juventude é um fósforo. Lembro-me de fechar o livro, sair da cama e ir até à esplanada conversar com os meus amigos que bebiam felizes. De barriga grande, mas fui. Hoje tenho um clube literário com um nome influenciado neste livro. 

 

 

Teria mais títulos para indicar nesta lista. Não sei conter o entusiasmo. Mesmo quando uma pessoa pensa que perdeu o entusiasmo ou sente um distanciamento qualquer, os livros recordam-me que estão aqui, tudo não passa de uma história passageira. Ainda hoje, uma pessoa me dizia "Cláudia, ontem foi o seu dia". Ainda pensei que a rádio tinha declarado o dia de ontem como sendo o dia da Cláudia, mas não. "Sim! Foi o Dia do Livro!". E lá vem o meu sorriso. E o calor. E o feriado. E tudo fica bem. Se calhar, isto é mesmo o meu propósito. 

 

 goodreads twitter instagram facebook

#2

leitora beta * divulgação * literatura *

contacta-me para mais informações contactoclaudiaoliveira@gmail.com
guia-de-viagem-skyscrapper

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D