Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

8 FACTOS SOBRE PEQUENOS FOGOS EM TODO O LADO (SEM SPOILER)

IMG_20180806_091613.jpg

Lançamento Maio 2018

Editora Relógio D'Água

 

Pequenos Fogos em Todo o Lado, da Celeste Ng foi o livro escolhido para dar inicio ao clube literário no Instagram, o Net Book Club. Terá direito a direct no Instagram no terceiro fim de semana do mês (ainda precisamos acertar o dia e o hora). Até lá, toda a gente se pode juntar a nós e ler este livro editado pela Relógio D'Água. Já li (dois,três dias), mas vou partilhar a minha opinião no dia do direct. Adianto que gostei muito. 

 

 

Hoje trago 8 factos sobre o livro e autora. De forma a incentivar os indecisos e trocar algumas opinião em relação a esta história que tem sido uma sucesso entre os leitores. 

 

 

Celeste Ng é filha de imigrantes chineses nos Estados Unidos

E claro, a sua história reflete-se naquilo que ela tem para contar. 

 

Este é o seu segundo romance

O primeiro chama-se Tudo o Que Ficou Por Dizer e já foi publicado em Portugal pela Asa. Já está na estante à minha espera. 

 

A história passa-se na década de 90

É evidente através de pequenos detalhes (personagens vão assistir ao Titanic no cinema). A inexistência das redes sociais nesta história é bastante importante no desenrolar da história.  A informação demora mais tempo a chegar às personagens, por exemplo. 

 

O romance começa pelo fim

Nas primeiras páginas somos confrontados com um episódio trágico. Esse momento será explicado ao longo da história através do desenvolvimento das personagens. O enredo não perde a força, pelo contrário. 

 

A mensagem da história está relacionada com o racismo (mas não só)

A autor confessou em várias entrevista que temas como o racismo e maternidade serão temas recorrentes nas suas obras devido à sua realidade. Como mãe de uma criança bi-racial são temas que a preocupam e pensa frequentemente. 

 

O título pode ter várias interpretações

Pode ser visto como uma sociedade de aparências tem as suas questões mal resolvidas ou dificuldade em manipular e controlar tudo. 

 

A obra venceu o prémio Goodreads Choice 2017

Foi um dos livros preferidos dos leitores e utilizadores do Goodreads. Neste momento tem uma pontuação de 4.15. 

 

O romance já foi traduzido em trinta línguas

E está a fazer imenso sucesso. 

 

Já leste ou vais ler Pequenos Fogos em Todo o Lado? Estás a participar no Net Book Club? O que achaste do livro?

 

Comprar o livro

 goodreads twitter instagram facebook

DESAPARECER NA ESCURIDÃO | MICHELLE MCNAMARA

IMG_20180729_112431_HDR.jpg

 

Lançamento: Julho, 2018

Editora: Relógio D´Água

 

Sinopse

Este livro tem o enredo, suspense e intensidade de um policial. Trata-se, no entanto, de um livro de não-ficção. McNamara morreu de forma trágica a meio da investigação que procurava identificar o Golden State Killer, responsável por uma onda de violações e assassinatos na Califórnia que se prolongou por mais de dez anos. A Polícia arquivou o caso. Mas McNamara continuou a investigação pelos seus próprios meios. Desaparecer na Escuridão é o relato de anos de investigação sobre a mente de um criminoso impiedoso.

É também o retrato da obsessão de uma mulher pelo fim da impunidade de um assassino. Este livro está destinado a tornar-se um clássico da literatura policial. Os direitos de adaptação para série de televisão foram adquiridos pela HBO.

 

Opinião

Michelle morreu em 2016, infelizmente não ficou a conhecer o rosto da sua "baleia branca", a quem apelidou de Golden State Killer. O homem que a fez escrever, pesquisar, investigar e passar várias noites em claro foi recentemente apanhado pela policia através do ADN. Alguns meses depois da publicação do livro nos Estados Unidos, com entrada direta para o top de vendas dos livros de não-ficção. Dois anos após a morte da autora.

 

Não foi ela que finalizou este livro, o seu marido contratou outro escritor de romances policiais, Paul Haynes. Infelizmente sem o desfecho merecido e o nome do violador. Por um bocadinho... No entanto, a inexistência desse desfecho não elimina a grande viagem literária no mundo do crime real que este livro permite. Está cheio de textos da Michelle que foram partilhados no seu blog "True Crime Diary", fotos, mapas, notas do editor, dados da policia adquiridos para a investigação e um Pósfacio do marido dela.

 

O modo operadis do Golden State Killer era invadir as casas durante a noite apontando luzes fortes para o rosto das vitimas com armas. Ele visitava as casas antes, analisava a família, cortava as linhas telefónicas, escondia cordas debaixo da cama e invadia com o intuito de violar a mulher e amarrar o homem. Aparecia com o rosto tapado com uma máscara de esqui e costumava roubar alguns objetos após o ataque. Colocava pratos empilhados em cima do homem e caso ele deixasse cair algum, a mulher seria morta. Chegou a matar. Estimam-se mais de 45 casos de mulher violadas e 12 casos de assassinato.

 

Somos levados pela obsessão da autora e sentimos a carga emocional depositada no seu trabalho. Achei curiosa este obsessão da autora, o que me levou a questionar várias vezes sobre a sua própria história. Acabei por me emocionar quando descreve a sua relação com a mãe. Aproxima-a, mostra a sua sensibilidade. Outra coisa que adorei neste livro foi a introdução da Gyllian Flynn. 

 

"Adoro ler histórias sobre crimes reais, mas sempre tive consciência de que, enquanto leitora, me transformo conscientemente na consumidora da tragédia de outra pessoa. Portanto, enquanto consumidora responsável, tento ser cuidadosa nas escolhas que faço. Leio só o melhor: escritores persistentes, perspicazes e compassivos. Era inevitável encontrar Michelle."

 

Não dá como não sentir frustração por ela, sem conhecer o desfecho desta investigação. A Michelle esteve tão perto. Ela foi importante na resolução deste crime e a sua intuição não esteve muito longe. Percebemos que o traço que ela criou do Golden State Killer é semelhante com a realidade. 

 

Este livro deve ser incluído nas leituras dos fanáticos do crime real. Não sendo um romance ficional é deveras impressionante. Marcado por muita violência, com uma narrativa bastante envolvente, é um livro que não queremos largar e ainda precisamos de falar sobre ele com toda a gente. As descrições são narradas com mestria, com enorme riqueza nos pormenores levando a reconstruir as cenas do crime facilmente na nossa imaginação. 

 

A personalidade forte desta mulher é traduzida pelo seu trabalho extraordinário. A persistência assim como a sua sensibilidade são traços notórios na sua escrita. Adorei. Aposto que vocês também vão adorar. 

 

"Quando conto a alguém nascido na zona que estou a escrever sobre um violador em série de Sacramento, ninguém pergunta qual dele é: isto é revelador não só sobre esta zona nos anos setenta, mas também sobre o EAR"*

 

A HBO já comprou os direitos da obra, teremos uma série para desfrutar. 

 

*EAR, significa East Area Rapist. nome pelo qual Golden State Killer era chamado pela polícia 

 

Para comprar o livro, clique AQUI

goodreads twitter instagram facebook

"HISTÓRIA DA MENINA PERDIDA" | ELENA FERRANTE

IMG_20170509_095723.jpg

 

Lila e Elena. Minhas queridas. São as protagonistas de uma história contada pelo ponto de vista de uma. Dividem o protagonismo entre os diversos livros da série.  Elena escreve sobre ela e sobre a sua grande amiga Lila. Portanto, não podemos confiar totalmente na sua história. Vemos as pessoas como queremos, não como elas são realmente. Existem momentos em que sinto raiva ou tristeza de uma, às vezes da outra. Nesta série nunca sabemos o que vai acontecer. Tudo é inesperado. Este fim foi inesperado. Não é um final fechado, sem pontas soltas, pelo contrário. Deixa algumas perguntas sem resposta. 

 

É uma história sobre Nápoles, sobre a construção de uma cidade pós guerra. É sobretudo a construção de uma vida de sonhos num lugar pequeno, cheio de condicionantes impeditivas para obter bons estudos ou uma boa vida. Amores reais e difíceis, famílias corajosas e tempestuosas. É sobre a vida onde mora a amizade e o amor. 

 

É a melhor série de livros que já li em 32 anos, com milhares de quilómetros de letras no meu curriculum como leitora. São as personagens mais parecidas comigo, apesar de fictícias e estarem num ambiente completamente diferente do meu. As oportunidades delas, a sede pela vida e estudos, a relação de amizade das duas protagonistas é bastante próxima da relação de amizade que mantive (ou mantenho, o fim de uma amizade continua a ser uma amizade, não existe ex-amigo, de amigo passamos a coisa nenhuma). Senti cada palavra, e consegui viver com estas personagens durante muitos meses depois de terminada a leitura dos outros volumes. O mesmo acontecerá com este. Estas personagens vão comigo para sempre porque sou eu (às vezes a Lila, às vezes a Elena, não posso revelar onde sou uma, onde sou a outra, às vezes sou as duas). Talvez seja muito prepotente da minha parte dizer que esta escritora escreveu-me, mas a realidade é esta. Encontrei as minhas fragilidades nesta série e reconheci os meus defeitos nas personagens. Quando sinto raiva das suas atitudes também as sinto como minhas. 

 

Na fase adulta, ficamos mais próximos da morte. As pessoas começam a desaparecer, por doença ou morte inesperada. No último livros há muito sofrimento. A carga dramática começa na vida amorosa da Elena, devido a uma grande reviravolta é transportada para a vida da Lila. Continua a existir a habitual competição entre elas. Na cabeça da Elena, acho que ela compete sozinha sem saber. Neste livro vamos ter atitudes surpreendentes por parte de várias personagens. Um turbilhão de emoções. Preparem-se. O título é perfeito para este volume, mal sabia eu. 

 

Não ficamos indiferentes à escrita da Elena Ferrante. É visceral e emotiva, fria e doce. Tudo junto e misturado. Estou completamente apaixonada  pela sua narrativa. Gostava tanto de escrever assim. Sem filtros, no entanto nada é deixado ao acaso.  E apesar de ser impossível reconhecermos a escrita de uma mulher, estes livros só podiam ter sido escritos por uma. Uma das minhas escritoras preferidas. Vou ler tudo o que tenha sido escrito por ela. Infelizmente, faltam-me poucos. Mas sempre posso reler, não é verdade? 

leitora beta * divulgação * literatura *

contacta-me para mais informações contactoclaudiaoliveira@gmail.com
guia-de-viagem-skyscrapper

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D