Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

Qua | 29.01.14

Um Pouco de Cinema com "A Vida de Adèle"

Cláudia Oliveira
Depois de tantas criticas e polémica fui ver este filme. A melhor publicidade é a polémica. 
Este filme conta a história de amor entre duas mulheres. Adèle é estudante de Literatura, em relacionamentos com rapazes mas algo se vai passar consigo e os sentimentos começam a mudar. Numa ida ao acaso a um bar lésbico conhece Emma, uma estudante de Belas Artes como  cabelo pintado de azul, lésbica e mais segura daquilo que quer. Iniciam assim uma relação. 
Achei o filme bonito em termos de fotografia e realização. Achei longo e chato em algumas partes. Dura três horas. Gostei da história mas não adorei o filme. Talvez seja interessante para algumas pessoas verem esse filme, apesar de ser um romance entre duas mulheres, a história é igual a qualquer outra história de amor. 
As minhas cenas preferidas são os diálogos sobre artes e literatura. 
Ter | 28.01.14

Um pouco de cinema com "Clube de Dallas"

Cláudia Oliveira



Ron é o protagonista desta história. Preconceituoso, desprezível, um homem de excessos (drogas e sexo) descobre que tem sida. Ele acha que a doença é "coisa de gay", ao princípio tem dificuldades em aceitar o seu destino. O médico dá-lhe trinta dias de vida. Ele ri-se na cara do médico e continua a sua vida da mesma forma louca (drogas e sexo). Até ao dia em que acorda. Posto isto, decide procurar ajuda e pedir à médica um medicamento específico que tem sido testado em tratamentos de doentes com sida com sucesso, que o próprio acredita que lhe fará bem. Esse medicamento não está à venda nas farmácias, nem é distribuído de forma gratuita. Acompanhamos a luta de Ron ao longo do filme. A sua vontade de querer viver. A luta pelo preconceito.

 

McConaughey está maravilhoso neste papel. Presumo que irá vencer o Oscar como melhor actor. É bastante credível, tem imenso talento. E não sei se o filme não irá vencer o Oscar de Melhor Actor Secundário, Jared Leto está incrivelmente bem. Admito que tive algumas dificuldades em reconhecê-lo.

 

O filme aborda temas interessantes como a guerra entre as a industria farmacêutica e os governantes, o poder e interesses da indústria farmacêutica. Para além disso, a evolução do protagonista é maravilhosa. Uma bela lição de vida.

 

O filme é muito bom. Os actores são muito bons. Mais motivos?

Seg | 27.01.14

Curtas

Cláudia Oliveira

Quando um escritor precisa de dar cursos de escrita criativa para viver, sinto alguma pena. Parece que ninguém os lê. Parece que estão a dizer que o talento não serve para nada. Basta a técnica. Não sei. Sou eu a divagar sobre a lei da sobrevivência e o negócio. 

Seg | 27.01.14

Um Pouco de Cinema com "Golpada Americana"

Cláudia Oliveira

 

O melhor deste filme não é a história. É a realização, banda sonora, guarda-roupa e actores. Elenco de luxo, TODOS estiveram muito bem. Os papéis serviram como uma luva. A forma como acompanhamos a história atravês de uma câmara em movimento já me tinha deslumbrado no filme "Guia para uma Final Feliz". Adoro a forma como David O. Russell conduz o trauma. 

 

O filme tem cenas muito boas. As minhas cenas preferidas são imensas, posso contar-vos algumas

 

- SPOILER-

 

quando Bradley Cooper e a Amy Adams estão numa discoteca e vão parar à casa de banho onde fazem uma promessa meio ridícula; quando Jennifer Lawrence faz playback ao som de uma canção, com luvas de borracha e o seu filho assiste à cena; quando Christian Bale choraminga com a partida da sua amante ou discute com o Bradley Cooper sobre este beijar a sua amante; a participação de Robert Del Niro enquanto mafioso. 

 

- FIM DE SPOILER-

 

Diverti-me imenso com este filme. O filme tem contornos humorísticos muito bons. Não é feito de piadas transparentes/fáceis, está na forma como os actores conduzem as cenas, nos detalhes, nos diálogos. Testa ao limite o sentido de humor do espectador. Haverá muita gente a encolher os ombros durante algumas cenas em que outros irão rir até às lágrimas. O cabelo do Bradley Cooper é motivo de gargalhada, por exemplo. A barriga saliente de Christian Bale é outro. 

 

Os actores, como disse anteriormente, estão perfeitos. Tornou-se completamente difícil escolher um preferido dos nomeados. Destaco a louca Jennifer Lawrence é maravilhosa no papel de mulher disfuncional e carente. Adorei o penteado dela. A alegria dela. Grande personagem. Esta rapariga ainda tem mais para dar? Tem provado ao longo destes anos que é uma excelente actriz. Impressiona-me tanto talento. 

 

A banda sonora está perfeita. Música dos anos 80. Este filme tem como pano de fundo esta década, nas suas loucuras e costumes. Outro ponto a favor. 

 

O filme não se foca apenas na estratégia para apanhar os corruptos. A história desenvolve também os romances, diversifica as cenas consequentemente dá mais ritmo e momentos de humor ao espectador. 

 

Felizmente não ouvi as criticas más acerca deste filme e fui tirar as minha próprias conclusões. E aqui estou para vos sugerir a fazerem o mesmo. 

 

Dom | 26.01.14

Maratona Literária - meta

Cláudia Oliveira
A maratona literária Viagens (In)Esperadas é uma ideia da Catarina R. e da Silvana. Começa dia 27 de Janeiro às 00:00 e termina dia 31 de Janeiro às 23:59. 
O tema escolhido pela votação foi: Livros escritos por autores que nunca leram. Sendo uma maratona temática só as páginas destes livros contam para o resultado final.  Haverá um desafio por dia. 
Já fiz a minha selecção. Conto ler quatro livros. 
O Assassino Cego de Margaret Atwood. Estou na página 316, pretendo terminá-lo. 316/625 páginas.
No Coração desta Terra de Coetzee. Prémio Nobel da Literatura em 2003. 231 páginas. 
Afastado de Sadie Jones. Finalista do Prémio Oranze 2008. 313 páginas.
Diário da Bicicleta de David Byrne. Vou ler em e-book. 392 páginas.