Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

Dom | 17.01.16

Saga "ver todos os filmes nomeados para os Oscars antes da gala" | A Queda de Wall Street

Cláudia Oliveira

 O que mais gostei neste filme foi sem dúvida a realização entregue ao realizador Adam McKay. Ele realmente fez um excelente trabalho. Os actores também estão fenomenais. Todos eles. A temática é o lado menos positivo desta história. Economia, nem toda a gente gosta do tema, não é verdade? Talvez seja um bocado complicado entender alguns termos (as sigls utilizadas), apesar das explicações feitas ao espectador através de um narrador omnipresente e com um tom bastante divertido. Tem também participações de algumas figuras famosas que tornam o filme leve. No geral, gostei. 

Sab | 16.01.16

O Marciano | Andy Weir

Cláudia Oliveira

IMG_7422.PNG

 

No Goodreads

Minha pontuação: 3.5*

 

Ainda bem que fizeram a adaptação cinematográfica desta história. Foi o meu primeiro pensamento após a leitura do livro. É daqueles casos especiais em que o filme complementa o livro. Ler sem alguns conhecimentos técnicos pode ser uma tarefa um bocadinho mais complicada sem a visualização do filme. Não sei, eu vi o filme primeiro. Uma excelente adaptação, deixem-me que vos diga. 

 

Depois de uma tempestade de areia ter obrigado a sua tripulação a evacuar o planeta, e de esta o ter deixado para trás por julgá-lo morto, Mark encontra-se preso em Marte, completamente sozinho, sem perspectivas de conseguir comunicar com a Terra para dizer que está vivo.

 

É uma história de sobrevivência, com um elemento que a torna diferente das outras, o humor expresso do começo ao fim. Acho interessante a mensagem constante de esperança e persistência transmitida pelo Mark. Se estivesse no lugar dele dava em doida e traçava o meu óbito no primeiro dia. Mas ele tem um plano, sobreviver e regressar ao planeta Terra. 

 

Usa o humor e a inteligência para manter-se lúcido. Ouve música, lê policiais em formato digital. Os outros personagens são aborrecidos, ao contrário dele. Foi impossível criar alguma espécie de ligação com os personagens secundários, com um protagonista tão forte  a brilhar sempre que aparecia. É fácil gostar do Mark e passar o livro inteiro a torcer para que tudo corra bem. E não importou se já sabia o final, nunca deixei de estar do seu lado. 

 

Lê-se muito bem. Foi uma leitura bastante agradável. Recomendo para quem quer ler ficção científica, mas tem algum receio, ou não sabe muito bem por onde começar. Vai ser uma surpresa. 

Qui | 14.01.16

Oscars 2016 | Ler os Livros e Ver os Filmes

Cláudia Oliveira

Como aconteceu o ano passado, li os livros que serviram de adaptação para os filmes nomeados na categoria Melhor Adaptação e Melhor Filme ao Oscar e assisti a todos os nomeados. Este ano não será excepção, já comecei a ver tudo para vos contar depois. Também já ando a ler um livro. 

 

Posto isto, pretendo ver este ano: 

 

MELHOR FILME


“Mad Max: Estrada da Fúria” - VISTO
“O Renascido” - VISTO
“Spotlight” - VISTO
"Brooklyn"
A Queda de Wall Street” - VISTO
“A Ponte dos Espiões”
“O Quarto” - VISTO
"Perdido em Marte" - VISTO

 

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO


“Brooklyn”
“Carol”
“A Queda de Wall Street”
“O Quarto” - LIDO

“Perdido em Marte”

 

CAPAS DOS LIVROS

Qua | 13.01.16

A Senhora da Magia | Marion Zimmer Bladley

Cláudia Oliveira

IMG_7240.PNG

 

No Goodreads

Minha pontuação: 5*

 

O objectivo deste texto é escrever a minha experiência enquanto leitora da série As Brumas de Avalon, da autora norte-amerina Marion Zimmer Bladley. Pretendo escrever um texto para cada volume, são quatro. Em dois dias li o primeiro volume: A Senhora da Magia. Preciso de partilhar o que senti. Não quero contar a história, nem detalhes da história. Existem inúmeros textos na internet sobre o assunto. Só quero conversar um pouco sobre este livro. Quem nunca leu e pretende ler um dia, recomendo que não leia este texto.  

 

Começo por contar que já tinha lido o primeiro volume há dois anos. Como faz parte dos meus planos ler a série completa este ano, decidi reler este para posteriormente ler os seguintes. Acreditam que esta releitura foi uma experiência totalmente diferente? Exactamente! Foi estrondosa. Como se a minha mente acordasse para magia de Avalon pela primeira vez.

 

Esta história, como a maioria sabe, conta a história do Rei Artur do ponto de vista das mulheres. Enaltece a força feminina e realça a importância que tiveram na história. São personagens maravilhosas e encantadoras. Sem excepção. Marion conseguiu criar personagens complexas e fortes. Diria, inesquecíveis. A magia ao lado do mundo comum torna o romance mais interessante. 

 

Sofri com a Igraine, por causa do seu casamento encomendado e infeliz. Não odiei Morgause, pelo menos por enquanto. Adorei os pensamentos e fraquezas da Morgaine. Aposto que irá tornar-se numa mulher fascinante, cheia de força. Viviane é a minha preferida neste livro. Por várias razões. É ambiciosa e poderosa. Apesar dos seus defeitos, conquistou-me. As mulheres dominam esta história. 

 

As minhas cenas preferidas foram: o reencontro entre Igraine e o Rei Uther. Foi tão empolgante ver consumado aquele amor; a chegada a Morgaine às terra de Avalon e toda a experiência como aprendiza; o ritual que uniu Morgaine e o Arthur. Esta cena é tão bonita; o final é maravilhoso, deixa uma nuvem de mistério no ar para o segundo volume. 

 

Liguei-me aos personagens e não vejo a hora de agarrar no próximo livro. Fico tão feliz por saber que ainda tenho mais três livros, excluindo os outros livros publicados que não pertencem a esta série. Mas estão de alguma forma ligados. Nunca fui uma grande leitora de livros de fantasia, apesar de ter sido um livro de fantasia o causador da minha primeira e infinita paixão pelos livros (A História Interminável, de Michael Ende). Se calhar, gosto mais do género do que pensava. Os livros da Marion Zimmer Bladley são únicos, abordam assuntos que me deixaram extremamente interessada: maternidade, papel da mulher, religião, luta pelo poder, natureza, beleza, amor, família, magia... 

 

Adoro quando sou surpreendida pelos livros que surpreenderam vários outros leitores. Sei que os livros da Marion Zimmer Bradley fazem parte do imaginário e da adolescência de muitas pessoas. Arte intemporal. Felizmente, ainda fui a tempo. 

 

Quando digo que existe um tempo certo para cada livro, digo-o com toda a certeza. 

 

Duas horas para escrever este texto e ainda tenho a sensação que não disse tudo.