Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

amulherqueamalivros

Banner billboard da campanha 50% desconto desenvolvimento pessoal
Qua | 31.10.18

6 ensinamentos que vou levar para 2019 | Especial Desenvolvimento Pessoal e Organização

Cláudia Oliveira

story_1540816544641.jpg

 

 

 

O ano 2018 trouxe-me muitos ensinamentos. Consegui absorver tudo o que a vida me quis mostrar, e fui em busca de aprender mais. Partilho convosco os seis principais ensinamentos. Aqueles que vou levar para a vida. São ensinamentos que fazem parte da minha caminhada pessoal, mas acho interessante partilhar alguns. 

 

- Aceitar a generosidade de braços abertos

Demorei a aprender a aceitar a generosidade dos outros, sendo extremamente grata, sem questionar. Acho que não estava habituada a receber de forma tão aberta. Um dos exemplos, o chá de bebé, o meu primeiro chá de bebé, organizado de surpresa. Levou-me a pensar na facilidade com que podemos dar momentos felizes aos outros com gestos grandiosos. Perdi aquele olhar desconfiado, ferido e transformei seguramente a minha postura perante o apoio dos outros. 

 

- Enfrentar as mudanças com leveza e de forma positiva

Este ano testou bastante o meu poder de resiliência. E ao contrário dos anos anteriores, consegui controlar melhor as minhas emoções. Facilitou bastante facto de estar rodeada das pessoas certas. Mostrei ao meu marido que ele não precisa de ter medo porque eu não tenho. Tracei, juntamente com ele, novos projetos e metas. E juntos, chegámos até aqui! Não vale a pena carregar o Mundo às costas. Deixa fluir. 

 

- A liberdade de não pertencer a grupos ou ceder a pressões

O melhor da vida é a liberdade de poder fazer e escolher o que me apetece. Ao longo de vários anos, para me sentir parte integral de alguns grupos, vi-me forçada a fazer coisas que não achava graça porque tudo se limitava à troca (ou pressão). Dizia muitos SIM porque toda a gente fazia o mesmo. A nível profissional, dentro do escritório. Quando um grupo se juntava para participar no euromilhões, eu aceitava para não ficar de fora. Quando um grupo se juntava para correr maratonas, dizia que sim para não ficar de fora. Passei a dizer NÃO e tirei um peso enorme das costas. Como blogger, participava em todas as maratonas, desafios, grupos e grupetas para sentir-me parte de uma comunidade. Este ano, as coisas mudaram. Não preciso de agradar a toda a gente. Não sou obrigada a nada. Sou muito mais feliz a fazer só aquilo que me dá prazer, junto de pessoas pelo qual tenho muito respeito, tendo em conta o meu ritmo e desejo. Respeito-me, é o mais importante. Para além disso, participar em tudo afastava-me dos meus objetivos e metas. Quando passei a selecionar, tornei-me em alguém mais focado e passei a concretizar os meus planos. 

 

 - A vida muda de um dia para o outro. Calma com os planos

Fiz uma lista imensa de projetos e metas para 2018. Fui apanhada na curva e tudo mudou. Eu sempre tive a mania de planear e tentar controlar ao máximo a minha vida. E quase sempre consegui. Desta vez, a vida preparou-me uma surpresa. Um grande abanão, acorda aqui e agora. No próximo ano baixo a guarda e não exagero tanto. A vida de facto pode mudar de um dia para o outro. Se eu achava que a vida era curta, agora sinto que é curta e inesperada. Está tatuado na minha pele. 

 

 

- Trabalhar para melhorar é sempre recompensador 

 A minha rotina matinal sofreu alterações no primeiro semestre do ano através do MIlagre da Manhã | Club6Am. . Foi quando comecei a impletantar a gratidão, meditação, yoga. Hábitos que ainda mantenho e me trazem vontade de aprender e melhorar mais. Foi extremamente importante ir à procura de respostas, despertar para a espiritualidade e desenvolvimento pessoal. Acho que estava destinado, passar por isso para saber lidar com o que veio depois. 

 

- Está  junto de mim quem a vida quer que fique

Não preciso de dizer mais nada. 

 

Deixo a pergunta, o que 2018 te entregou para levares para a vida?

1 comentário

Comentar post