Publicado em 1 comentário

O QUE EU VI EM JANEIRO

Este mês foi rico em séries e filmes. Decidi partilhar convosco todos os meses. Não esquecendo que foi um mês muito produtivo porque estive 15 dias doente, com a família doente. Mal dormi. Intenso isto. No entanto, não pensem que deixo de ver ou ler porque tenho 4 miúdos. Era o que mais faltava, a única coisa que me mete à beira da loucura é não dormir. E nesse caso, as coisas ficam a marinar. Em vez de ver um filme de uma só vez, como as pessoas comuns, demoro dois ou três dias. Não preciso de justificar a minha vidinha por consegui fazer coisas, pois não? Todos conseguimos. Somos fortes.

SÉRIES, DOCUMENTÁRIOS E FILMES

Comecei o mês a ver Enfrentar o Gelo, uma série romântica perfeita para ver agora. Gostei o suficiente para ver até ao fim. O moço que faz par romântico é um ótimo motivo para assistir. Sonhei com ele e tudo. Nada de cenas eróticas, foi uma coisa leve. Suas mentes loucas. Na verdade, aquilo que mais gostei da série foi o facto de abordar questões como a bipolaridade. Mas por favor, não precisamos de mais nenhuma temporada.  Gostei, mas não tanto assim.

Depois foi a vez do Messiah. Um homem diz ser Jesus, e só descobres no final se é de facto uma grande mentira ou se ele é mesmo o filho de Deus. Eu fiquei presa até ao fim. Já estava quase a roer as unhas com tanto mistério. E gostei muito das interpretações. O meu coração queria muito que fosse Messias. Mais não digo. Não entendo porque ninguém está a falar desta série.

Acho que a minha série preferida este mês foi Sex Education. Foi a série que me meteu a falar mais sobre ela com amigos e familiares. É uma das séries mais importantes da atualidade. Ponham os olhos nisto. Atores normais, sem beleza extrema, como nós. Adoro os temas discutidos, tem assunto para uma nova temporada e é daqueles casos raros em que uma segunda temporada não estragou o que foi feito na primeira. Só melhorou. Adoro a cena do autocarro, o girl power. Fiquei a detestar o moço da cadeira de rodas. Acho que nunca tinha sentido tanto ranço por um personagem de uma série.

Eu adoro documentários sobre serial killers. Livros idem. Tudo o que esteja relacionado com crimes, mente humana, faz-me tanta confusão que preciso de assistir para acreditar que existem pessoas capazes de fazer mal a outro ser humano. Dentro deste tema vi o famoso e perturbador Don´t Fuck With Cats. Nessa noite nem consegui dormir. Não se vê as imagens chocantes, mas são descritas e a nossa mente é capaz de tudo. A série é muito boa. Uma pessoa começa a questionar imensas coisas. Eu pensei tanto que dei por mim a colocar vídeos em privado com medinho não sei do quê. Há malta muita fodida da cabeça, não há?

Também asssiti ao Killer Inside: the mind of Aaron Hernandez por recomendação de alguém no Instagram (sorry, não me lembro). Adorei. Para quem não conhece o caso do famoso jogador de futebol americano este é um documentário muito intenso também. Cada episódio tem novos factos sobre o caso. Fiquei com a sensação que ele é culpado de todos os crimes, mas talvez tenha sido um caso de vingança.

Para aliviar a cabeça tentei ver The Witcher (depois de ter lido o primeiro livro) mas acabei extremamente frustrada porque não gostei nada. O enredo pode ser bom, mas os cenários são tão fracos. E as interpretações tão medianas que uma pessoa não aguenta até ao fim. Vi 7 episódios. Não quero mais. Ninguém fala com aquele tom à extreminador numa peça de teatro. E aquela floresta? Nota-se tão bem que são cenários em estúdio. Nah. Seca desta vida. E sim, eu percebi o contexto no tempo e no espaço.

Assisti ao documentário Miss América porque sou fã da Taylor Swift. Queria ter visto outras coisas. Está mediano. Os temas abordados são todos rasos. As questões relacionadas com distúrbios, pressões, desilusões, trabalho, política são bons temas, mas precisavam de desenvolvimento. Vês uma Taylor mais segura e madura. Gosto disso. Com uma boa mensagem para os seus fãs americanos. Votem com juízo.

Por fim, na Apple + vi dois episódios de Little America, o primeiro episódio de The Morning Show e os dois episódios disponíveis do Oprah´s Books Club. Gostei de todos. Acho que são series com muita qualidade, no entanto não vou continuar com a assinatura. 

 

RESUMO

 

Enfrentar o Gelo 3/5

Messiah 3/5

Sex Education 5/5

Don´t Fuck With Cats 5/5

Killer Inside: the mind of Aaron Hernandez 4/5

The Witcher 1/5

Miss América 3/5

Little America 3/5

The Morning Show 3/5

Oprah´s Books Club 3/5

 

Publicado em Deixe um comentário

VALE A PENA PAGAR PELA PUBLICIDADE NO INSTAGRAM PARA TER MAIS SEGUIDORES?

Antes de vires para aqui dizer que os números não são importantes e que o mais importante é a interação beca beca podes parar. Eu sei o que é mais importante para mim e tu sabes o que é mais importante para ti. No entanto, ter seguidores fantasmas não servem para nada. Ter cinquenta mil pessoas que nem sequer lêem aquilo que eu escrevo também não me interessa nada. Será que vale a pena pagar pela publicidade no Instagram para ter mais seguidores?

Gosto de ter interação porque gosto de ter interação, não tem nada a ver com ganhar parcerias. Não sou aquela doida que coloca uma pergunta em todas as fotos publicadas para receber comentários e tanto faz o que é comentado. Não! Eu gosto de ler comentários, gosto de ler a opinião dos outros e receber sugestões. Seja nas fotos ou no canal no YouTube. É gratificante, acabo por saber se vale a pena dar-me ao trabalho de escrever determinada lista ou gravar determinado vídeo.

Não ganho nada com os meus vídeos. Nem um cêntimo, acabaram com isso para os canais pequenos. Para eu voltar a receber dinheiro através dos meus vídeos preciso de ter não sei quantos mil seguidores e não sei quantas horas de visualizações ao longo de um ano. O que presumo ser difícil nesta vida, sobretudo neste nicho. Cheguei a receber cerca de 4 € no máximo por mês, o que deu cerca de 48€ por ano. Dois livros e está gasto.

Uma pessoa insiste porque ama isto. No blog ganho um valor em crédito através do link de afiliado da WOOK, se comprares com o meu link. É aquilo que mais me motiva, sinto que devo continuar a escrever, a publicar e a recomendar livros. É esse valor que me permite apresentar resultados verossímeis para trabalhar de outras formas. Eu vendo livros, tenho provas! Entendes? E cada compra tua é uma forma de apoiares aquilo que eu faço aqui. Não imaginas como eu agradeço o gesto. Como é que eu ganho/ganhei dinheiro com este projeto? Um dia podemos falar sobre isso de forma mais especifica, o que achas?

Em todos os cursos, mentorias e workshops que tirei de marketing digital falaram do poder da publicidade do Instagram. Decidi experimentar depois de ver alguns bookstagrammers no meu feed com publicidade paga. Se insistem é porque deve valer a pena, really? Nada como experimentar e relatar a minha experiência.

O primeiro passo foi escolher uma foto apelativa. Decidi selecionar o projeto DO QUARTO PARA O MUNDO para divulgar o meu arroba amulherqueamalivrospt. É um projeto que costuma ter muita procura no meu blog e respetivas redes sociais porque não há nada igual. Ok, já existem vários projetos dentro da temática leitura de viagens, mas igual ao meu não há. Nem com o meu formato. Nessa foto para além de apresentar aos leitores a ideia, também dou informações de títulos que podem ler. Ou seja, escolhi algo criativo e informativo. Para ser mais uma, prefiro estar quieta.

Depois entrei nas definições para promover a publicidade. Selecionei o público automático, para seis dias com localidade de Lisboa. Cada dia custa 5€, ou seja, iria pagar 30€.  Não fica logo ativo, a aprovação demora cerca de 24 horas.

Quando ficou ativo comecei a receber vários likes na foto escolhida e novos seguidores. No primeiro dia foram cerca de 30 pessoas novas. E não estamos a falar de marcas ou pessoal que só mete like porque sim. Pelo que vi são pessoas realmente interessadas em literatura, gostaram da ideia, comentaram e seguem uma ou duas contas no Bookstagram.

Acabei por deixar a publicidade apenas 5 dias porque ao quinto dia percebi que o número de seguidores baixou e não valia a pena estar a pagar. Ou seja, gastei 25€.  Graças a esta publicidade consegui chegar ao 4K, o meu objetivo de 2019 que infelizmente não consegui alcançar.

Números maiores permitem que o meu conteúdo chegue a mais pessoas. É uma consequência natural. Maior audiência permite que eu tenha maior possibilidade de “vender livros”, “vender o meu curso online Organização com Bullet Journal” e maior visibilidade para os projetos que desenvolvo. Por isso, prefiro ter mais números porque a chance de ter mais interação também é maior. Aliás, se conseguir chegar aos 10K vou ter direito a swipe up, é algo que me irá facilitar imenso na hora de direcionar para o meu conteúdo. Por isso sim, prefiro ter mais seguidores.

Há dois anos disse várias vezes que o Instagram seria a rede social preferida da maioria. A maioria estaria a trabalhar com a rede. A tendência seria essa. Tinha razão. O YouTube está a morrer com tantas leis novas, tantas regras e obstáculos. Atualmente as influenciadoras fazem mais vídeos para o IGTV porque as pessoas passam mais tempo no Instagram.

No final dos 5 dias ganhei 120 seguidores novos. 659 visitaram o meu perfil, mas pelos vistos só 120 acharam graça ao meu feed. Ossos do ofício. Das 120 pessoas, 51 pessoas visitam o meu site. E recebi algumas notificações de vendas pelo link de afiliado. A interação reduziu um bocadinho depois de finalizada, o Instagram privilegia quem está a pagar, mas nada de muito evidente. Também ganhei novos subscritores no YouTube, uns cinco talvez. O meu blog tem tido muita adesão, mas está relacionado com o meu trabalho criativo e informativo. Podia colocar publicidade no blog, mas não quero que os meus leitores sejam contaminados com publicidade a toda a hora. Eu não gosto.

Conclusão, acho que a publicidade pode facilitar na hora de divulgar o teu trabalho ou projeto novo. Recomendo que escolhas bem a foto e penses nas motivações. O que pretendes realmente? Eu quero que o projeto seja mais divulgado, quero atrair mais leitores com gosto literários abrangentes e chegar aos 10K para ter o swipe up. Mas não quero seguidores fantasmas, como vejo por aí. Isso não me interessa nada.

Vale a pena pagar para publicidade no Instagram para teres novos seguidores, mas precisas de ter conteúdo diversificado e informativo, um feed bonito e ser uma pessoa criativa.  Caso contrário os seguidores que ganhaste deixam de seguir porque não estás a acrescentar valor. Concordas?

Espero ter ajudado. Se tiveres alguma dúvida deixa a tua mensagem que farei questão de responder.

Publicado em Deixe um comentário

4 PASSOS SIMPLES PARA CRIARES UM BOOKSTAGRAM  

Olá leitor!

 

O blog chama-se A Mulher Que Ama Livros nasceu em Agosto de 2012 juntamente com o canal no YouTube. É o maior canal literário em Portugal, com mais de 3840 subscritores e 292 008 visualizações. Parece pouco, mas é um número imenso para quem está neste país. Escrevi o maior, mas nunca disse que é o melhor. Para mim é o melhor (para a minha mãe também), mas eu sou mega suspeita. O vídeo mais visto tem mais de 11 mil visualizações. Atualmente os stories do meu Instagram têm mais visualizações do que os meus vídeos recentes. De longe, o triplo. Facilitismos. Já o meu blog nunca deixou de ter leitores, nem caiu. Quem gosta, gosta, né?

Para além de leitora voraz, adoro escrever e passear. Tenho dentro de mim o desejo de descobrir o mundo. Conhecer lugares e pessoas é para mim a maior fonte de inspiração. Criei um Clube Literário dedicado aos clássicos da literatura, o Clube dos Clássicos Vivos para falar sobre livros com outras pessoas. Os encontros são de dois em dois meses. Adoro conversar, observar os outros e aprender. Defendo que os livros são a maior arma contra a ignorância e pode tornar o mundo um lugar melhor. Mas nem sempre acontece, a literatura não faz milagres.

O meu blog nasceu para espalhar o meu amor pelos livros. Acabou por transformar-se numa extensão de tudo o que eu sou. Até na parvoíce, vida como ela é. O meu estilo de vida e tudo o que eu acredito está espelhado em tudo o que partilho e na forma como escolho as minhas leituras. Este ano decidi que não vou estar a calar aquilo que eu quero dizer ao mundo. Se quiserem ouvir, fiquem.

Dedico parte do meu trabalho ao Bookstagram, e a todos os projetos envolventes relacionados com livros. Sou uma tola sonhadora. Para além do canal no YouTube (onde me dedico imenso, e quero que cresça sem comprar ninguém), página do Facebook e blog, Instagram é a rede social central do meu projeto.  Dali, consegues ir a todo o lado. Todos os caminhos vão dar ao Instagram, nunca ouviram dizer?

Este ano decidi ajudar quem pretende criar um projeto relacionado com livros devido às questões que me foram colocando nos últimos meses. Não foram muitas famílias, mas foram umas dezenas engraçadas super interessadas em receber livros de borla. O que eu acho que é uma péssima ideia para criar um Bookstagram.  As minhas dicas são válidas para quem quer um blog ou um canal no YouTube. Espero que te ajude. Força na caneta.

 

4 PASSOS SIMPLES PARA CRIARES UM BOOKSTAGRAM

 

  1. Escolhe o nome do teu projeto. Antes de escolheres pesquisa se já existe algum projeto com o mesmo nome. Procura em todas as redes sociais. Um conselho: o teu público é português, escolhe um nome português. Algo simples, fácil de verbalizar e identificar com o conteúdo.  Se vais falar sobre livros, convêm que o nome esteja associado.
  2. Cria uma conta no Instagram. A conta deve ter o nome do teu projeto e uma biografia simples. No meu caso tenho “Projetos e listas literárias”, tal como tenho no blog. Também podes inserir o link com vários links através do site lintree. É uma ferramenta muito útil para quem tem link de afiliado, blog e canal no YouTube. Caso não saibas, só podes ter swipe up nos stories quando tiveres 10 mil seguidores no Instagram.
  3. Sê leitor. Para desenvolveres um projeto relacionado com literatura precisas de ser leitor. Não queiras iniciar este projeto para receberes livros gratuitos. Tens de amar verdadeiramente os livros. Tens de ser um leitor ávido. Não és leitor porque tens um blog, és um blog porque és leitor.
  4. Tira as tuas próprias fotografias. Por favor, não uses fotos de ninguém sem dares os devidos créditos. É importante que sejas tu a tirar as fotos do teu projeto, para o teu Instagram (ou outra rede social). Cria o ambiente perfeito para as fotografias ficarem apelativas e bonitas. Inspira-te em perfis com o mesmo conteúdo.

saldos-billboard

 

Publicado em 1 comentário

COMO LER 25 LIVROS ESTE ANO – DICAS DE MOTIVAÇÃO

Trago dicas preciosas para te motivar a ler mais este ano. Está na hora de pegares naquele livro que está a ganhar pó na estante e cumprir a promessa de ano novo: ler mais. Espero que as minhas dicas para leres pelo menos 25 livros ajudem os leitores mais desmotivados. Aproveita o inicio deste ano para organizar o teu tempo, definir objetivos e não deixes que essa motivação desapareça.

 

Lembrando que este número é simbólico. Podes ler um, dois, dez, o que quiseres. São apenas dicas de motivação para leres mais este ano. Este texto é para quem precisa de motivação extra para agarrar num livro.

 

 DICAS DE MOTIVAÇÃO PARA LERES MAIS EM 2020

 

Diminuir o tempo que vês Netflix

A Netflix é um vício, concordas? Para ler mais é preciso alterar o hábito de ver televisão pelo hábito da leitura. Também podes fazer as duas coisas se resistires a mais um episódio da tua série preferida. Em vez de dez episódios, vês um ou dois ao longo de toda a semana ou também podes escolher um dia da semana para maratonar séries e leres um bocadinho todos os dias.

Estabelecer um número de páginas por dia

Conforme o teu ritmo de leitura podes escolher um número mínimo de páginas lidas por dia. Imagina, se um livro tem 200 páginas e se leres 20 páginas por dia consegues terminar o livro ao fim de dez dias, o que significa que consegues ler pelo menos 2 livros por mês e 24 no final do ano.

Ler livros pequenos

Ler livros com 200 páginas no máximo motiva o hábito da leitura. É mais estimulante para criar o hábito da leitura conseguir finalizar uma leitura. O hábito de leitura cria-se com pequenos passos. Com capítulos curtos a leitura voa e quando dás por ti estás no fim.

Escolher o género literário certo

Existem imensos. Policial, fantasia, romance histórico, romance contemporâneo,… Podes perceber através das tuas séries preferidas. Imagina que adoras ver séries relacionadas com crimes, se calhar vais adorar ler um thriller.

Comprar livros

Visita o site da WOOK e compra um livro novo. Um livro novo quando chega a casa dá sensação de conforto e traz consigo a vontade de ler. O cheiro a papel tem uma magia qualquer. Quando leres o livro, compra outro. Não acumules livros por ler na tua estante porque isso pode causar alguma ansiedade.

Criar uma conta no GoodReads

É extremamente motivador veres as leituras de outros leitores. Teres um desafio de leitura pode ser a chave para a tua motivação. Este ano decidi que vou ler 52 livros ao longo de 2020. Se quiseres, segue-me por lá. Podes clicar AQUI.

Ver canais literários

Quando comecei a ver canais literários passei a ficar super entusiasmada em trazer conteúdo sobre livros. Não passei a ler mais, mas passei a expandir o meu gosto literário e a experimentar novos géneros. Existem dezenas de canais que podes escolher. Experimenta pesquisar no YouTube o título do último que gostaste muito de ler. O meu canal é este, CLICA AQUI. Se subscreveres o canal e activares as notificações recebes sempre a notificação quando sai um vídeo novo.

Ler eBooks

Experimenta instalar a aplicação Kobo no teu telemóvel ou tablet e ler um eBook nos momentos de espera. Quando lia eBooks lia muito mais rápido porque podia levar calhamaços comigo. Não precisas de ter um Kobo para teres a aplicação.

Anota as tuas leituras num caderno

Esta dica é mais para quem usa um Bullet Journal ou adora cadernos.

Lê sempre que tens um tempo livre

Esta deves estar fartinha de ouvir por aí. Mas a verdade é que tu és responsável pelo teu tempo. Transportes sao os melhores amigos.

Estar sempre actualizado em relação as novidades no cinema

Sempre que vai estrear um filme que tem um livro publicado, a vontade de o ler antes de ir ver o filme é maior. O mesmo para as séries.

 

saldos-billboard

Publicado em 3 comentários

ONDE COMPRAR LIVROS MAIS BARATOS

Comprar livros é a minha maior perdição. Tinha prometido não comprar livros este ano, mas essa promessa já foi esquecida. Adoro comprar livros e compro imensos. Tenho os meus truques para comprar livros mais baratos. E poupar alguns euros.

Recentemente fui à feira do livro e trouxe vários para casa. Partilhei convosco num post (ler aqui). Para além dos livros recebidos de parceria com editoras, faço questão de comprar os meus livros todos em português. É uma forma de apoiar as editoras portuguesas, assim como apoiar os meus parceiros. É muito bonito receber livros, mas eu sou apoiante incondicional do que é feito em Portugal e tenho muito medo que as editoras entrem em falência. Como se dependesse de mim o seu sucesso. Eu sei que não é assim, mas faço a minha parte. Pelo menos, tento.

Para poupar alguns euros tento evitar a compra de livros sem promoção. Para mim 10% não conta. Precisa de estar a 20% no mínimo. Mas claro que existem excepções. Quando quero apoiar muito uma instagrammer que admiro, compro mesmo sem promoção. Como foi o caso da Maria, da Bloglogia. Ou da Carolina Paiva, a minha amiga dos livros. Também não resisto ir a um evento de um autor e não comprar o seu livro se ficar completamente encantada com a forma trata os seus leitores e fala nos seus livros. Como foi o caso do evento com o Sandro W. Junqueira, onde fui recentemente.

banda-desenhada-billboard

Mas afinal onde compro os meus livros?

  • O meu site preferido é a Wook. Sobretudo porque tenho sempre valor em cartão para gastar (através do link de afiliados, devido ao meu trabalho como criadora de conteúdo ou do valor dos portes que costumam ir para vale de compras). Agradeço imenso o vosso apoio nesse sentido porque me tem trazido oprotunidades que de outra forma seria impossível. Aproveito as promoções de 20% em novidades ou os descontos periódicos. Também costumam ter promoções especificas por gêneros, ou por autor. Os livros chegam sempre numa caixa de cartão, bem embalados e nunca tive problemas como estragos ou algo do gênero. Visito diariamente o site para ver os livros em pré lançamento e as promoções.

 

  • Já fui mais compradora no site da OLX. Mas cheguei a comprar muitos clássicos nesse site. Os preços são sempre mais baixos e valem a pena. Nunca tive problemas de pagar um livro e não receber, por exemplo. Quando não encontro um livro que eu quero na biblioteca, passo pelo OLX para procurar o título. Assim como em grupos no Facebook aque servem para isso mesmo. Também uso o serviço para vender os livros que eu não quero. Estão sempre a entrar livros cá em casa e não sinto necessidade de ter livros que não gosto muito, ou simplesmente sei que não fazem muita diferença na minha vida. A minha relação com os livros mudou imenso ao longo dos anos. E não sou nada agarrada aos livros. Só aos meus preferidos, claro.

 

  • Feira do Livro. Eu espero por este evento todos os anos para aproveitar os descontos de 50%. A hora H é uma perdição, foi onde comprei a maior parte dos livros. Estive na LEYA e na Elsinore. Não sendo a Elsinore minha parceira, acabei por gastar alguns euros porque sou simplesmente admirada do trabalho deles. Também fui a uma editora independente chamada Abysmo, mas acabei por comprar um livro por 18€. São excepções. Porque o ideal é aproveitar as promoções todas. Ir aos alfarrabistas. Procurar os livros a 5€,10€. Tantos euros poupados. Ver os livros do dia. Eu faço um mealheiro para gastar na Feira do Livro e nunca fiquei desiludida. Compro como se fosse ler tudo num ano, e não existisse feira no ano seguinte.

 

 

Este três lugares são os meus preferidos para comprar livros mais baratos. Uso muito a biblioteca para ler aquele livro que quero muito, mas não me apetece gastar dinheiro. Ou não posso gastar dinheiro. E quando poupo num livro da biblioteca, sei que estou a poupar para comprar outro noutra oportunidade. Investir em livros é muito importante. Adoro e não dispenso. Mas estou tentada em voltar com a promessa no próximo ano. Não comprar livros, ler da biblioteca. Mas depois penso, eu tento incentivar ao consumo de livros, não faz muito sentido eu não comprar livro, não é verdade? Talvez volte com o meu projeto 5+1. Aquele projeto que incentiva a ler e a comprar com moderação. Para ser tudo equilibrado.

 

Espero que tenham gostado deste texto. Já não escrevia sobre compra de livros há muito tempo e adorei. Adoro perder o meu tempo na escrita, na partilha. Boas leituras!

WOOK - www.wook.pt

Publicado em 3 comentários

Como ter inspiração para escrever num blog

 

Hoje reuni algumas perguntas que me fizeram sobre o meu percurso como blogger. Falo sobre inspiração e motivação. Tenho algumas dicas para dar, conselhos de amiga e espero que alguns sejam úteis para o vosso trabalho como blogger. São respostas curtas, não aprofundo nenhuma das questões, mas posso escrever textos para cada tópico, se sentirem necessidade. E se tiverem alguma dúvida, deixem nos comentários.

 

Nunca te falta a motivação para escrever? 

Não. Escrever e ler são as minhas duas grandes paixões da vida. Escrevo porque preciso de espaço na minha mente. Tenho sempre a cabeça num turbilhão de ideias e preciso de deitar para fora os pensamentos. Passaria mais de metade do meu dia a escrever, se pudesse. E a outra metade a ler. Mas a vida não pode, nem deve, ser só isso. Acho muito difícil cansar-me de algo que eu amo fazer. Depois sou muito focada e quero atingir os meus objetivos. E isso passa pela escrita.

 

Ter um blog e não gostar de escrever não é compatível. Para quem não gosta de escrever, ou não sente motivação para manter um blog com textos regulares, recomendo que escolha outra plataforma. O YouTube pode ser uma opção. O podcast ou o Instagram também.

 

Quais são as tuas maiores inspirações? 

Quanto aos blogues literários, gosto de blogues que evoluem. Que não sejam como eram há cinco anos atrás. Que tragam algo criativo. Que procurem por novas ideias, estimulem os outros a ler. Que não passem de textos de opinião e lançamentos. Posto isto, existem poucos que me fazem sentir entusiasmada. Mas existem. Gosto muito do trabalho da Angie. É uma menina leitora cheia de criatividade e muito esforçada. Traz sempre conteúdo diferente. Gosto de pessoas trabalhadoras, criativas, com força de vontade. Inspiram-me. A Alexandra inspira-me na forma como escreve as suas opiniões. Girl power. E fico sempre com vontade de ler tudo o que ela gosta. Não é por acaso que trocamos livros. As pessoas dos livros inspiram-me. Sobretudo quando marcam a diferença com os seus gostos literários.

 

Agora, quanto às pessoas que eu sigo no Instagram  e no YouTube. Inspira-me, a Alice Trewinnard, pela forma como comunica. Na forma divertida como falam da maternidade, Ana Sousa Amorim e a Diana (Rapariga da Serra). Pessoas que tornam o meu dia mais leve são inspiração.

 

Inspiro-me muito nas pessoas que sigo. Na vida, na minha vida, no cinema, na televisão (nem acredito que estou a dizer isto, mas é verdade), na literatura. O meu marido inspira-me, os meus filhos. Vejo inspiração em quase tudo.

 

O teu planeamento do blog é mensal ou semanal? 

Mensal e semanal. E anual. Sempre. Faço um planeamento mensal de acordo com os meus objetivos anuais e todos os domingos preparo o alinhamento semanal.

 

És blogger há quanto tempo?

13 anos. Comecei com um blog chamado Mau Feitio, depois tive Vida de Comercial, Batom, A Mulher Certa, O Elástico da Cueca (colectivo), Crónicas de Amor, Querem Lá Ver, e por fim, A Mulher Que Ama Livros. Pelo meio, alguns anônimos.

 

Como manter um blog atual com pouco tempo e às vezes pouca inspiração?

Para manter um blog atual precisa de estar no topo das tuas prioridades. Tens de te dedicar pelo menos meia hora por dia.

Tenho imensas dicas, mas posso partilhar algumas.

Podes ter uma lista dedicada ao registo de ideias. Sempre que surgir, registas a ideia. Podes usar o telemóvel como ferramenta de trabalho. Sempre que tiveres um tempo, podes avançar na escrita do teu blog. Ou usar o microfone. Ditas o texto e o telemóvel faz o trabalho por ti. Depois, basta ajustar os últimos pormenores e publicar.

 

O que fazer nos dias (vários seguidos por exemplo) em que não há inspiração escrever?

Não confundir inspiração com preguiça. A inspiração não surge do além. Vem com o trabalho constante. Quanto mais escreveres, mais vontade terás em escrever.  Portanto, o meu conselho é: vai em busca da inspiração. Sai da tua zona de conforto, por exemplo. Lê outra coisa, visita um museu, escuta música, procura vídeos no YouTube, vê fotografias. A inspiração pode surgir nas pausas, mas se não surgir, cria o hábito da escrita. E como é que isso se faz? Escrever mesmo sem vontade. Começa. Marca na tua agenda “escrever” e foca a tua atenção só nisso durante o período que estabeleceres.  Outra dica: tornar a escrita num desafio. Esta serve para quem adora um bom desafio. Imagina: 7 dias a escrever 1000/2000 palavras por dia. E mergulhas no desafio cheia de força de vencer.

 

Faz um planeamento do teu trabalho. Estrutura os teus objetivos. E cria pequenos objetivos diários para atingir o resultado final. Esta dica serve sobretudo para quem está a escrever um livro, ou um trabalho de faculdade. Pequenas vitórias transformam-se em motivação.

 

Quantas vezes devemos publicar um texto por semana?

Acredito que basta um texto por semana, se o trabalho demonstrar respeito pelos seus leitores. Desde que não falhes. Tem de ser um compromisso. Naquele dia, naquele horário. Convém ter alguma presença nas redes sociais se for apenas um texto. Caso contrário, podes escrever dois ou três. Mas mais do que isso, só fica confuso. Nem os leitores conseguem acompanhar a dinâmica. Claro, com excepções. Imagina que estás a fazer o blogmas (textos todos os dias até ao Natal), nesse caso faz sentido. Sem falhas!

Estar em todo o lado, com vários textos, não é vantajoso. Foi algo que aprendi nos últimos meses. Nem compensa. Mais vale demorar a escrever um texto, criar outras formas de comunicação (como fotografias), do que postar-postar-postar sem propósito. E encher os seguidores com conteúdo.

 

Portanto, recomendo, que seja um post por semana (sem falhas) ou dois/três. Recomendo que tenhas um horário fixo para os teus leitores criarem o hábito de visitar o teu blog.

 

 

Oportunidades 20 a 50 banner billboard