Publicado em 10 comentários

Clube dos Clássicos Vivos | Votação do livro

Podem votar no livro até dia 25 na poll activa deste grupo. Temos sugestões muito boas. Não precisam de votar nas vossas sugestões.

Títulos para votação

Persuasão de Jane Austen
David Copperfield do Charles Dickens
Margarita e o Mestre de Bulgakov
A Criação do Mundo de Miguel Torga
História de Duas Cidades de Charles Dickens
Orgulho e Preconceito de Jane Austen
Jane Eyre de Charlotte Brontë
O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde
Emma de Jane Austen
Viagens na Minha Terra de Almeida Garrett
Os Irmãos Karamázov de Dostoievski
As Vinhas da Ira de Steinbeck
D. Quixote de Cervantes
Uma família inglesa de Júlio Dinis
Eurico, o Presbítero de Alexandre Herculano
Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco
O Quinze de Rachel de Queiroz
Lolita de Vladimir Nabokov
Boneca de Luxo de Truman Capote
O Processo de Kafka

 

Dos títulos mencionados já li:

 

Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

Jane Eyre, de Charlotte Brontë

O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde

Emma, de Jane Austen

Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco

Uma família inglesa, de Júlio Dinis

 

Todos eles excelentes livros. Não me importo de reler. Aliás, um dos meus clássicos preferidos é Jane Eyre. No entanto, a minha sugestão foi Margarita e o Mestre, de Bulgakov.  A lista tem imensos títulos de autores portugueses, o que me deixa muito feliz. Não existe nenhum que me desagrade. Podem votar AQUI

Publicado em 6 comentários

Lançamento | Flores | Afonso Cruz

Lançamento dia 23/09/2015. Quero, preciso, quero!

 

Sinopse

Um homem sofre desmesuradamente com as notícias que lê nos jornais, com todas as tragédias humanas a que assiste. Um dia depara-se com o facto de não se lembrar do seu primeiro beijo, dos jogos de bola nas ruas da aldeia ou de ver uma mulher nua. Outro homem, seu vizinho, passa bem com as desgraças do mundo, mas perde a cabeça quando vê um chapéu pousado no lugar errado. Contudo, talvez por se lembrar bem da magia do primeiro beijo – e constatar o quanto a sua vida se afastou dela – decide ajudar o vizinho a recuperar todas as memórias perdidas. Uma história inquietante sobre a memória e o que resta de nós quando a perdemos.

Um romance comovente sobre o amor e o que este precisa de ser para merecer esse nome.
«Viver não tem nada a ver com isso que as pessoas fazem todos os dias, viver é precisamente o oposto, é aquilo que não fazemos todos os dias.»

Publicado em Deixe um comentário

Dlog #136 | As férias estão a acabar

As férias acabam na terça-feira às oito da manhã. Li três livros nestas duas semanas. Madame Bovary, de Gustave Flaubert para o Clube dos Clássicos Vivos. Dei quatro estrelas. É um livro maravilhoso, um final que agrada a uns e desagrada a outros. Eu não gostei muito, mas entendi a escolha do autor. Li Vidas Secas, de Graciliano Ramos. Gostei bastante da simplicidade da escrita do autor e dos personagens desta história. Quero ler mais livros do Graciliano Ramos. Por mim li Um Quarto Só para Si, de Virginia Woolf. Um livro essencial na vida de um leitor. Brilhante, fez-me ver algumas coisas que não via antes. A leitura actual é do autor Javier Marías, intitulado Os Enamoramentos. Livro fantástico. Já gostava do Javier Marías, agora estou apaixonada. 

Estou a gostar bastante das vossas sugestões para o Clube dos Clássicos Vivos. Já tenho os meus preferidos. Não deixem de sugerir mais títulos até amanhã. Dia quinze vou colocar em votação todas as sugestões. 

Publicado em 3 comentários

Clube dos Clássicos Vivos | Sugestões para Outubro

Vamos começar a sugerir títulos para a próxima leitura em conjunto? Vamos! Super curiosa com a próxima lista. Vou manter os mais votados no mês anterior e colocar as novas sugestões. Temos até dia 14 para sugerir títulos, depois começa a votação. Não se esqueçam dos clássicos da literatura portuguesa, também merece a nossa atenção,não é verdade? Obrigada a todos os participantes.

Moby Dick mereceu uma discussão interessante. Houve uma interpretação interessante sobre a simbologia da baleia branca. A maioria dos participantes não gostou da leitura devido aos textos técnicos sobre a caça às baleias, extracção do óleo, etc… No entanto, todos concordaram que a leitura valeu a pena. Pessoalmente, tornou-se num dos meus livros preferidos.

 

Não sei se sabem mas está a decorrer durante este mês a leitura de Madame Bovary, de Gustave Flaubert. Começamos a discussão no dia um de Outubro no Clube dos Clássicos Vivos. Estou quase a terminar e recomendo vivamente. O entusiasmado vai depender do final, claro. 

Não deixem de participar, é tão bom partilhar.