Ontem, foi um dia complicado. Andei à luta com o iPhone por causa do vídeo. Um vídeo de quase meia hora. Obrigada a quem se deu ao trabalho de ver o vídeo. Também deu para ler o livro O Museu da Inocência até à página 160. Fiquei bastante satisfeita. A história está a desenrolar-se de uma forma maravilhosa. Entretanto, era para começar a ver uma série mas não consegui. 

À hora de almoço, comecei a ler o livro O Meu Irmão, prémio Leya 2014, de Afonso Reis Cabral. Consegui ler até à página 21 e achei meio chato. No entanto, vou insistir até ao fim. Um homem vai buscar o seu irmão de quarenta anos, mongolóide, ao Tojal. Onde uma mulher, aos beijos, deixa-o cheio de baba na bochecha quando o cumprimenta. 

Andei a ver as estreias de cinema desta semana e nada de jeito nesta vida. Por falar em nada de jeito, tenho de passar nos CTT e enviar os livros do passatempo.

Sinto-me triste. Não vou sorrir com nada. Não é um bom dia para nada. Só dormir.