O personagem de Barba Ensopada de Sangue não tem nome. Não é preciso. A história faz sentido na mesma. Ele sofre de uma doença neurológica congênita que desconhecia de todo. Prefiro não revelar para não estragar a surpresa. Estou sempre a pensar nisso. Já passei por várias fases: “devia dar jeito”, “que vantagens traz?”, “porra, deve ser horrível”. O episódio em que ele vai buscar uma criança à escola deixou-me triste. Várias emoções. Tão bom encontrar livros assim. E ainda não acabei. Não cheguei a meio sequer.