Estava muito curiosa para saber como Isabel Allende se saiu num novo registo literário. Assim que vi a autora a ser entrevistada por um canal de televisão fiquei com mais vontade de comprar o livro. O livro tem uma capa bonita. Adoro-a. Gostoi menso dos tons que utilizaram. O título suscita curiosidade. O que seria isto do Jogo de Ripper? 

O Jogo de Ripper é um jogo online onde os participantes buscam os autores de vários crimes ocorridos. Juntam-se várias pessoas com identidades fictícias para falar sobre as pistas e os crimes. A ideia é tentar descobrir o autor antes da policia. Neste jogo a mestre chama-se Amanda, é a protagonista deste livro. Amanda é uma miúda com gostos peculiares. Ela e os seus amigos virtuais vão tentar descobrir o autor de vários crimes ocorridos de forma brutesca. Existe uma ligação entre todos os crimes, sendo essa uma pista relevante. 

Li por alto a contracapa, se forem ler o livro não o façam. Não vou explicar os motivos mas digamos que a contracapa diz mais do que devia. 

Ainda não sei muito bem se gostei do livro. Estava à espera de outra coisa. Apesar disso também saí surpreendida e acho que a Isabel Allende se saiu bem neste registo policial. Não descobri o criminoso antes do final. Fiquei agarrada ao mistério, acho que foi um bom final. No entanto, os personagens não mexeram comigo. O enredo não mexeu comigo. Nada de nada. Uma leitura um pouco sem sal. Com altos e baixos. O melhor deste livro é a construção dos personagens e a escrita da autora. Não me arrependo de ter comprado e lido. Pelo contrário.  

Foi mais um livro que me deu um bom momento. Acho que era o objectivo da autora quando o escreveu, fazer os leitores passarem um bom bocado. 

Sugiro este livro aos admiradores da autora, aos leitores que querem ler algo durante as férias e aos apaixonados por policiais.