Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

amulherqueamalivros

Banner billboard da campanha 50% desconto desenvolvimento pessoal
Qui | 21.07.16

O Livro | Zoran Zivkovic

Cláudia Oliveira

LTWM9921.jpg

 

No Goodreads

Minha pontuação 4*

 

O livro é o narrador deste livro e começa desta forma: "Não é fácil ser um livro".


Primeiro começa por mostrar a importância dos livros para a memória da humanidade. "Teriam esquecido tudo. E como poderia alguém apresentar-se como um indivíduo inteligente, se não recordasse o seu próprio passado, incluindo o passado recente?". Chama a atenção para o tratamento que damos aos livros, como deviam ser tratados. Afinal eles dão tanto e pedem tão pouco em troca. Compara os livros às mulheres num mundo machista. Como serviram de objecto de puro exibicionismo desde o aparecimento da roda, divagando por vários tipos de leitor e sentimentos em diversas situações.

Existe uma pequena referência à famosa casa de banho que continua no primeiro lugar de popularidade para os leitores. Faz questão de mostrar que se sentem humilhados nessa situação privada.

Este livro fez-me reflectir sobre a minha postura como leitora e na minha relação com os livros. Fica o aviso: se este livro for lido por uma pessoa que adora sublinhar as melhores partes, não irá largar a caneta até chegar ao fim. Aliás, só para que saibam, os livros não gostam de ser sublinhados.

O livro vai passear pelo quotidiano e analisar a nossa relação com os livros, vai entrar na nossa privacidade e dizer o que pensam. A humidade pelos olhos de um livro. Parece interessante? É muito interessante!

Discordei de algumas comparações que este livro resmungão faz. Sobretudo quando fala nas bibliotecas. Mas não vos vou contar com quem relaciona as bibliotecas. Precisam de ler para descobrir. Depois podemos voltar a falar no assunto.

 

Fica a recomendação sobretudo para os leitores que adoram, como eu, ler sobre livros. Eu pretendo ler tudo o que este autor escreveu. 

 

2 comentários

Comentar post