“ORIGEM” | DAN BROWN + PASSATEMPO

 

IMG_20171011_142830.jpg

 

 

Um mês antes de revelar à humanidade a sua grande descoberta Edmond é recebido por três lideres religiosos em Bilbau. O cientista trabalha numa especialidade relacionada com a teoria de jogos e modelos computacionais. É considerado uma espécie de profeta no mundo da tecnologia e é um conceituado cientista nos campos da computação e da teoria de jogos. Previu uma crise monetária europeia há uns anos que lhe deu imenso destaque. Após uma vasta investigação descobre algo que irá comprometer o futuro das religiões. O cientista tem as respostas para as grandes questões: De onde vimos? Para onde vamos? Há provas cientificas que todas as religiões têm um aspeto em comum: estão todas enganadas.

 

Este é o ponto de partida para o inicio da nova aventura do professor Robert Langdon. Convidado para o evento pelo ex aluno Edmond vai ver-se envolvido pelo mistério após uma situação na grande noite da revelação. Neste livro Robert parece estar mais contido, talvez esteja um bocadinho mais cansaço apesar de nunca parar no mesmo lugar. Continua a trazer maravilhosas informações relativas à arte através dos seus diálogos e pensamentos. Aprendo sempre imenso com ele. O que gosto nos livros do Dan Brown é precisamente isso, faz-me procurar na internet lugares que desconheço e ter vontade de os visitar. 

 

Quando escolho os livros dele a minha expetativa é encontrar o que eu encontrei, distração para os dias pesados. A leitura foi muito envolvente, as páginas voaram. É um no stop de ação e mistério. Através de personagens cativantes acabamos por acompanhar a resolução do grande mistério. Nunca fiquei aborrecida e é isso que eu espero dos livros do autor. Acho que posso afirmar que Dan Brown criou uma das suas melhores personagens, o Winston. Só li dois livros do autor, mas vou arriscar.

 

Não gostei nada do que se passou na página 242, mas gostava muito que me dessem a vossa opinião. Não acharam muito incoerente? As personagens femininas dele nunca me agradam e têm atitudes insuportáveis. Também tem cenas pouco surpreendentes e senti falta de algumas explicações. Apesar do final me ter desiludido um pouco a experiência de leitura foi positiva. O grande segredo não é tão grande assim. Digam-me de vossa justiça, ficaram surpreendidos?

 

Recomendo. Uma livro que não pretende ser mais do que é. 

 

Pode também gostar de...

13 comentários

  1. Código DaVinci e Anjos e Demónios são os melhores, in my opinion. Tinha ideia de ter gostado muito do Fortaleza Digital, mas fui reler este ano e… é um bocado fraquinho :b
    Os outros são OK, dão para entreter 😉

  2. Estou na pág. 260! Até agora ,tirando o Winston, nada de especial. Fiquei com muita curiosidade de ir a Bilbao conhecer o museu😊
    Quanto ao episódio da pág. que referes concordo contigo em absoluto. É completamente idiota.

  3. O Winston é espetacular. É o melhor deste livro 🙂
    Também fiquei com muita vontade de ir a Bilbau. E conhecer vários lugares que ele cita no livro.
    É mesmo idiota. Não dá para entender porque ele continua a criar mulheres tão vazias.

  4. Acabei mesmo agora o livro e devo dizer que gostei muito.
    Agora quero ir a Barcelona ver a Sagrada Família e subir aquela escada😊
    Que venha o próximo!

  5. Bom dia Cláudia, no Verão de 2014 comprei o livro do Símbolo Perdido porque tinha gostado dos filmes Código Da Vinci e Anjos & Demónios e não consegui ler tudo apesar de já estar quase no fim, não consegui ler porque achei a história muito fraca, ou seja, demasiado parada para mim, actualmente estou a ler o Sinal de Vida.

  6. Olá Cláudia, estou a gostar imenso, tem uma leitura bastante agradável, no entanto ainda só li 100 páginas mas estou ansioso para ver o que virá mais para a frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.