Publicado em Deixe um comentário

Lançamentos

 

 

Lançamento dia 18 de Novembro

 

 

Sinopse:

 

 

inopse Baseado em acontecimentos verídicos, *Um Milionário em Lisboa* conclui a espantosa história iniciada em *O Homem de Constantinopla* e transporta-nos no percurso da vida do arménio que mudou o mundo – confirmando José Rodrigues dos Santos como um dos maiores narradores da literatura contemporânea.

Kaloust Sarkisian completa a arquitectura do negócio mundial do petróleo e torna-se o homem mais rico do século. Dividido entre Paris e Londres, cidades em cujas suítes dos hotéis Ritz mantém em permanência uma beldade núbil, dedica-se à arte e torna-se o maior coleccionador do seu tempo.

Mas o destino interveio.

O horror da matança dos Arménios na Primeira Guerra Mundial e a hecatombe da Segunda Guerra Mundial levam o milionário arménio a procurar um novo sítio para viver. Após semanas a agonizar sobre a escolha que teria de fazer, é o filho quem lhe apresenta a solução: Lisboa.

Publicado em Deixe um comentário

José Luís Peixoto

Quando li um livro dele pela primeira vez achei aquilo muito confuso . Não me lembro do título do livro, não me perguntem. Era mais nova, tinha a cabeça cheia de coisas e não consegui acompanhar a sensibilidade da escrita do autor. Não desisti dele, deixei-o para outra idade. Recentemente um amigo emprestou-me o seu livro com frases muito pouco motivadoras: “não percebi nada”, “não gostei”. Demorei um pouco para começar a ler, sempre com uma desculpa qualquer.

 

 

Estou de férias, preciso de entregar o livro emprestado, tenho a cabeça no lugar. Só motivos, antes de ontem abri o livro e mergulhei os olhos na leitura do livro “Livro”. E apesar da história não ser a melhor historia de todos os tempos, a escrita do autor é maravilhosa. As personagens são muito bem construídas, os episódios retratados lembram-me uma infância longínqua, pedaços dos meus avós, expressões dos meus tios. Estou quase a meio do livro e desta vez José Luís Peixoto entrou para o núcleo de autores que pretendo ler tudo. Agora sim, fizemos as pazes.

 

 

Há um tempo, um lugar, uma hora para tudo.