Qual foi o livro mais violento que já leste?

Os livros de George RR Martin são muito violentos. Lutas entre espadas, batalhas, não fosse a Guerra dos Tronos. Chegam a arrancar olhos. Entre outras coisas mais. Sangue e muitas mortes faz desta saga a mais violenta que conheço. Os Jogos da Fome de Suzanne Collins também são livros com um elevado grau de violência. 

 

Os livros sobre a Segunda Guerra Mundial são os mais violentos. A xenofobia é a maior atrocidade que o homem pratica contra o seu semelhante. Alguns contam fatos verdadeiros, outros andam muito perto. O livro Se Isto é um Homem de Primo Levi é o livro mais violento que já li, ou recordo ler. Primo Levi expõe a sua experiência, é difícil ficarmos indiferentes. 

 

A violência pode manifestar-se de diversas forma. Bullying, perseguição, chantagem emocional ou maldade gratuita. Livros como Milagre de r.J. Palacio e Por Lugares Incríveis de Jennifer Niven abordam diferentes pontos de vista em relação ao bullying. Vi um filme violento que me marcou bastante chamado Precisamos Falar Sobre Kevin, ainda não consegui ler o livro de Lionel Shriver mas pretendo. Clube da Luta é um livro violento, consegue que o leitor sinta nojo em vários momentos. 

Um livro que me impressionante o suficiente para passar várias semanas agarrado a ele foi A Sangue Frio de Truman Capote. Sobretudo por ser baseado numa história verídica. O autor faz um trabalho jornalista fascinante. Cheguei a sentir medo de estar sozinha em casa. 

O conhecido livro O Perfume de Patrick Suskind tem uma das histórias mais macabras. Nunca o esqueci, nem as sensações que obtive durante a leitura. 

 

Sou contra a violência, fujo de uma cena de pancadaria a sete pés. Mantenho-me longe de lugares onde a violência é propicia. Massas fanáticas deixam-me nervosa. Numa discussão nunca sou aquela que oferece uma chapada, dá um empurrão. Chamem-me cobarde. Acredito que a violência não é necessária entre duas pessoas adultas.

 

Impressiono-me bastante com cenas de violência. Gosto de livros que procovam em mim alguma emoção, boa ou má. Sobretudo má. Gosto de me chocar. Sejam histórias verdadeiras ou não. Queimada Viva foi o primeiro livro que me chocou. Descobrir que existem mulheres condenadas à morte por leis feitas por homens perturbou-me imensamente. Este livro fez-me perder uma parte da ingenuidade própria daquela idade. 

E tu? Qual foi  livro mais violento que já leste?

Pode também gostar de...

21 comentários

  1. Os que me ficaram na memória, se calhar porque vi depois os filmes, foram os da Colecção Millennium de Stieg Larsson :
    “A Rapariga que Sonhava com Uma Lata de Gasolina e Um Fósforo”, “A Rainha no Palácio das Correntes de Ar” e “Os Homens Que Odeiam as Mulheres”.
    Gostei muito de os ler, mas achei-os extremamente violentos!

  2. Nao li nenhum deles. Ate gostava de ler um ou outro dos citados, com excepção do Hunger Games, porque me parece daqueles casos em que o hype à volta do mesmo é exagerado.

  3. O tipo de violência que mais me afeta é a sexual, principalmente o estupro, e ele está muito presente em Os Homens que não Amavam as mulheres e nos livros de George Martin. Aliás, eu nunca tinha imaginado cenas tão grotescas envolvendo estupros antes das Crônicas de Gelo e Fogo. Lembro distintamente de uma mulher cujas mãos foram presas em um pedaço de madeira e deixada para ser estuprada por todo homem que passasse até que morresse. Não consigo pensar em nada mais violento que isso.

  4. O perfume é um livro fantástico, o a sangue frio também…Por acaso esse da Jennifer Niven não consegui acabar…Acho que nem passei das primeiras páginas. Todos os livros envolvendo mulheres nesses países costumam ser violentos, já li alguns que me fizeram ficar enojada mesmo…Cenas de tortura e assim tb. Mas nem toda a violência é explicita desta maneira, lembro-me da Metamorfose por exemplo…Um dos livros sobre o holocausto que mais me arrepiou não tinha nenhuma cena explicita.

  5. Olha eu leio muitos livros sobre história, torturavam, queimavam vivo o pessoal, por exemplo o Rei de Ferro descrevem muita torturas como sentenças. No livro Encíclica Geração há uma parte que descrevem a morte de Joana d’Arc, mas quando li nem pensei nisso, apesar de ser de certa forma chocante.

    Before Night Falls (não me lembro do titulo em português )é talvez um dos mais violentos e chocantes, as torturas que os Comunistas faziam aos seus oponentes, é cheio de violência.

    Meu amo e senhor é um testemunho de uma mulher que sofreu nas mãos do marido e da sua família, ias gostar

  6. Muito sinceramente,acho que nunca li nenhum livro violento,todos os livros que tenho lido têm sido basicamente romances,por isso,não me recordo que tenha lido algum violento!!

  7. Violência por violência são livros de que não sou grande adepto.
    Depois há os livros que tem violência mas nada de muito marcante… o pior é alguns dos tipos de livros mais recentes em que se começam a eliminar personagens quando eles começavam a ter histórias para alargar horizontes. Desde que li o Death Cure james dashner , Maze Runner ) que deixei de gostar deste tipo de leitura. Eliminar uma das personagens da forma como o fez, foi demasiado (e vai “doer” quando chegar ao cinema). Se queria fazer aquilo, tinha-o feito logo no inicio do livro. Sempre deixava a história fluir sem aquela situação final que acaba por destruir tudo o que 3 livros tinham criado.
    (não sou adepto de “grandes literaturas”…)

  8. Sim. Existe o filme maze runner – Correr ou morrer [em português o título foi dado mesmo por alguém que nunca leu a trilogia em livro] do primeiro livro. O 2 vai estar nos cinemas algures lá mais para dentro do verão. “Provas de Fogo”… título em Português ficam tão mal. Vale mais deixar o nome original.

    Mas, a estória até está engraçada (tem mais buracos que um queijo suíço . é ficção) só mesmo a meio do 3 livro é que se consegue criar um mapa de tudo o que acontece nos dois livros iniciais. Para quem gosta dos jogos da fome, este é uma versão diferente, mais adulta e que puxa mais pela imaginação.
    O final da trilogia é que me deixou de rastos… tanto trabalho que é feito para defender um objectivo (pessoal mais velho percebe qual é o final do livro logo após o 4 capítulo do 2 livro… o pessoal mais novo só o descobre a meio do terceiro).
    São livros que mais parecem uma mistura dos jogos da fome com a trilogia divergente (com a vantagem que neste não há qualquer surpresa desde o final do primeiro livro… no maze runner existe a reviravolta antes do final que destrói uma personagem sem qualquer vantagem ou explicação para a estória . São daqueles momentos que o autor deve ter pensado: “Esta personagem já devia ter morrido antes e pode deixar a ideia que vai dar cabo do namoro dos queridinhos, por isso, toma lá e adeus.”)

  9. Violência, cultivada no mundo desde Cain . Assassinos, Seriais Killer , Torturadores. E se alguém escrevesse um livro sobre um serial killer diferente, diferente até na forma de matar. E se este livro ensinasse como ele sequestrava as pessoas, como ele as torturava e como eles as matava. E se este Serial Killer fosse a maior vítima do livro. Câmaras de torturas, fabricas da morte e canibalismo.
    “Um livro sem heróis, pois para ser herói ele teria que ter perseguido e prendido o maior assassino em série do mundo, obra está fora da capacidade de um único homem. Um livro apenas com vítimas: a que mata, as que morrem e as que sofrem vivas.”
    Passei cinco anos pesquisando e escrevendo um livro, que pretendo lançar o ano que vem. Hanibal Lecter foi transformado em um anti-herói. Vou lhes mostrar nestas quase 300 páginas um monstro que consegue destruir as suas vítimas a partir da base. Um monstro para qual a tortura é o seu bem maior. Mostrar como se constrói uma obra mortal, um trabalho de mais de trinta anos. Pessoas vão ser presas inocentemente, mandadas para a morte sem nunca ter cometido aqueles crimes, e um esperará a hora de ir para a injeção fatal para contar que ele é inocente. O que pode ser pior do que a morte. Qual é a última coisa que sobra. Como tudo começou. Tudo vai ser contado neste meu livro, onde vocês tomaram conhecimento, saberão como foi criado o maior Serial Killer de Massa do mundo, A Besta.
    Este é o primeiro site onde eu escrevo. Gostei da matéria e resolvi começar a falar do meu livro. Em pouco tempo vocês, os interessados em violência extrema, terão notícias. Não é mais um livro trash de violência gratuita. Vocês vão sentir o prazer do serial killer em matar, que é muito grande, e a dor do parente da vítima ou das vítimas, que é incomensuravelmente maior. Verão que até as organizações mais perigosas respeitam e sentem medo da Besta. Nos livros e filmes de Seriais Killers que vocês já viram ou leram, tem toda uma trama, aparecem corpos na sequência do livro e uma investigação é feita. No meu livro vocês farão uma visita ao inferno, nível após nível, cada um pior do que o outro, cada um mais doentio. Verão o FBI, pois ele se passa todo nos Estados Unidos, ser transformado em uma agencia de localização de corpos. O primeiro escalão do governo será abalado pela perfidia , onde o ditado “cobra engolindo cobra” nunca foi tão real. Foram cinco anos, pesquisa e trabalho duro, e muito trabalho. Revisões mil para não deixar nada nas nuvens. E espero que a próxima vez que procuraram o livro mais violento do mundo, o meu esteja no primeiro da lista.

    Ademar Junior

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.