Publicado em 13 comentários

Quando falam mal dos meus livros preferidos

Quando não gosto de um livro prefiro não falar ou escrever sobre ele. Principalmente para não desmotivar alguém que tenha o livro na estante. Confesso que não gosto de ouvir falar mal dos meus livros preferidos. Não é pessoal, mas quase. Sinto-o cá dentro, apesar de ter noção da realidade. Respeito, não ofendo quem tem uma opinião diferente da minha, mas preciso de uma justificação. Gostos são gostos. Não é preciso dar muita importância. Ler é uma experiencia pessoa, lembrem-se. Já li diversos textos onde a malta enxovalhava a escrita de José Saramago. Neste caso, mesmo educada, não regresso. De resto, pode ser.

13 comentários em “Quando falam mal dos meus livros preferidos

  1. Pessoalmente não me importo que não gostem. Se for um blog que costumo seguir, onde já sei mais ou menos os gostos, dou a minha opinião e troca-se ideias…Com uma condição: serem opiniões fundamentadas! Coisas do tipo não gostei, mas capa era muito linda (sem mais nada) ou falar (ás vezes sem nível nenhum) sem ter lido tb me fazem não voltar…Há muitos blogs assim. Por acaso acho mais fácil falar de um livro que não gostei..ahah.

  2. Adoro o Saramago, mas compreendo perfeitamente que critiquem o estilo dele. Afinal o homem escreve numa forma completamente diferente do que nos foi ensinado. A minha professora de português não gostava nada dele por exemplo, e frisava-o constantemente 😀

  3. Também não me importo quando não gostam. Eu também acho que é mais fácil falar nos livros que não gosto mas prefiro não fazer. Sobretudo não gosto de gravar vídeos quando não gosto dos livros.
    🙂

  4. Eu não compreendo mas também não digo nada, fico na minha. 🙂

  5. Eu particularmente gosto de ler tantos resenhas positivas quanto negativas, desde que fundamentadas. Não deixo de ler um livro só porque alguém falou mal, até porque já amei livros odiados e vice-versa. Sem falar que todo livro tem seus pontos positivos e negativos…
    Eu tive que me acostumar a ouvir pessoas falando mal de livros que gosto por causa de Jane Austen. É minha escritora favorita, mas é também muito criticada. Se eu abandonasse um blog ou canal por falar mal dela teria cortado 50% do que acompanho. Risos.
    Faço um exercício de tolerância e aceito o direito à diferença.
    Além disso, as discussões literárias são sempre mais interessantes quando há pessoas que gostaram e não gostaram do livro.
    E concordo com a moça aqui em cima: acho mais fácil falar de livros de que não gostei. Não sei por que…

  6. Olá
    Há de facto muita gente com essa opinião e que opta por não escrever opiniões de livros de que não gosta. Eu respeito essa posição (afinal cada um é livre de fazer o que quer) mas tenho outra postura.
    Por um lado o blog é o sítio onde partilho as minhas opiniões sobre os livros que leio. Mas antes (e mais do que isso) o blog é o meu registo de leituras. Tantas e tantas vezes vou lá para me recordar das impressões que determinado livro me causou. Por este prisma não há razão para que omita as minhas impressões negativas.
    Por outro lado acho que não é possível que toda a gente adore um livro. Todos os livros, sem excepção, agradam apenas a uma parte dos leitores. Por isso não vejo porque é que há quem se sinta ofendido com opiniões negativas. Aliás é de opiniões contrárias que se gera as discussões mais interessantes. Já experimentaram discutir um livro de que não gostaram com alguém que o adorou (ou vice-versa)? É do melhor que há. Comigo acontece regularmente. No grupo literário a que pertenço (a roda dos livros) há poucos livros (ou autores) que geram consenso. E por isso é tão bom falar, falar, falar.
    A maior dificuldade que tenho é escrever uma opinião negativa de um livro de um autor Português. Há grandes probabilidades de isso lhe chegar aos ouvidos. E como a vida literária por Lisboa é do tamanho de uma ervilha é provável que eu o conheça ou vá conhecer. E, confesso, requer alguma coragem escrever um post menos positivo. Mas, para mim, não faria sentido deixar de o fazer. De algum modo as opiniões positivas que escrevo deixariam de ser credíveis.
    Mas não vou ser hipócrita: enquanto há alguns anos escrevia sem pensar em mais nada e destilava para o papel/blog a minha raiva em relação a alguns livros, actualmente penso e tento escrever de forma mais suave. Mas há situações em que não consigo (como me aconteceu com o “O remorso de Baltazar Serapião” do Valter Hugo Mãe). Talvez isso afaste pessoas do meu blog, talvez não nas sinceramente escrevo mais para mim que para os outros.
    E, sem querer lançar a polémica, há imensos bloggers que assumem ser um elo importante na divulgação dos livros, exigem para si o reconhecimento das editoras. Como podem, ao mesmo tempo, ser parciais na apreciação dos livros? Provavelmente sou apenas que eu considero que omitir a sua opinião negativa é defraudar quem nos ouve/lê. (e eu não tenho uma única parceria, nunca tive e duvido que alguma vez venha a ter, leio o que me apetece, quando me apetece). E não digo isto para ti, sinceramente. Pessoalmente é começar a não confiar nas opiniões de um blogger (e isso acontece-me quando TODOS os livros que lêem são maravilhosos e fantásticos) que me mantém afastada.
    Espero não ter ofendido ninguém, não é essa a minha intenção.
    Boas leituras
    Patrícia

  7. Eduarda,
    eu tenho receio de magoar seja quem for em relação às minhas opiniões negativas, mas dou se tiver de dar, digo se tiver de fazer, já escrevi e já fiz vídeos onde criticava alguns livros.
    Eu consigo transmitir a minha paixão acerca de um livro quando gosto bastante… Eu acho. 🙂

  8. Concordo com o que foi dito.
    Já tive de escrever negativamente sobre um livro. Apesar de não gostar, escrevo. O livro de Patrick Ness é um exemplo recente, pois é um livro adorado por várias pessoas. Não gostei do personagem principal (o monstro) nem da forma como o autor escolheu contar a história. O meu receio não é ser sincera, é magoar quem gostou muito deste livro. As pessoas nem sempre aceitam e ofendem-se com as criticas. Mas não o deixo de fazer.
    Ler opiniões positivas constantemente num blog também não me agrada, isso faz-me desconfiar e talvez nem regressar.
    Não tenho papas na língua quanto aos meus gostos, como foi o caso do livro que li recentemente do Bukowski. Adoro o autor mas o livro foi uma enorme desilusão. Afirmei num vídeo e escrevi num post.
    Leitores com muitas parcerias deixam-me desconfiada sobretudo se lêem vinte livros por mês e gostam de todos.
    Obrigada pelo comentário.

  9. Eu compreendo essa parte do “magoar quem gostou muito desse livro”. Aliás, já me insultaram por não gostar de um livro que consideram muito bom (escusado será dizer que foi blog a que não voltei, nem sequer para dar resposta).
    🙂 Boas leituras

  10. Olá,
    Quando criei o blog foi para ter um local onde eu pudesse registar o que achava dos livros que lia e colocar por vezes se achasse necessário alguma parte sobre a história do livro para mais tarde poder recordar a leitura do livro.
    E para mim essa continua a ser a função do meu blogue se gosto, gosto se não gosto, não gosto. Este ano como já lá referi tenho tido muita sorte nas leituras pois tenho gostado de todas, mas isto não quer dizer que não me vá cruzar com leituras que não vá gostar e se assim for colocarei que não gostei do livro e o porquê. Mas a ideia inicial continua lá escrevo isso, e peço desculpa a que lê e dá a sua opinião no blogue, essencialmente para mim para eu um dia mais tarde poder pegar no livro x e ler o que escrevi sobre ele.
    Uma coisa que me irrita solenemente e que muito honestamente muitas vezes coloco em causa a veracidade desse fato é as ditas parcerias com blogueres a lerem 20 livros por mês. Acho isso uma falta de respeito para o leitor do blogue.
    Eu este ano infelizmente estou no desemprego, tenho plena noção que estou a ler muito mais do que o normal, mas não trabalho, mesmo assim não conseguiria nunca ler 20 livros por mês e muitos deles de quinhentas e tal páginas cada um, e depois vem o outro lado da moeda, como são livros recebidos pelas parcerias feitas, até que ponto o leitor pode dizer, poder pode, mas vai dizer que não gostou do livro.
    Eu não tenho parcerias, já tive mas estavam sempre a pressionar a opinião para o mais cedo possível, por isso desconectei delas.
    O meu prazer e da maioria de nós, se me é permitido falar no geral, é ler e deixar registado o que se achou do livro, se se gostou, se não porquê. Quais as personagens que nos marcaram pela positiva e pela negativa, a escrita do autor e até mesmo muitas vezes se a tradução está bem feita ou não.
    Bom este é o meu ponto de vista da função do meu blogue e para que ele serve.
    Boas leituras.

  11. Concordo com tudo o que foi dito e revejo-me em todas as palavras, mas mesmo assim tenho alguma dificuldade em dizer mal de um livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.