Publicado em 10 comentários

Roleta literária

Se à partida conheço os meus gostos e sei quais são os livros que me enchem as medidas porque insisto em ler outras coisas? Uma vez ouvi uma booktuber que prezo bastante (Claire) dizer que a maior qualidade que um leitor pode ter é “não ter medo de sair da sua zona de conforto”. Eu saio várias vezes da minha zona de conforto, acabo sempre desiludida. Salvo as exceções. Devia escolher apenas livros e autores que já conheço? Devia começar a ler a sinopse? Devia prestar atenção nas capas? As exceções têm valido a pena. Sempre prefiro o desconhecido e já tive a sorte de conhecer autores novos por causa desta minha vontade de arriscar. No entanto, tenho gasto dinheiro em livros que não mereciam um cêntimo da minha parte se os tivesse lido antes. Se tivesse lido a sinopse talvez nem os tivesse comprado. Será um risco constante ser leitora? Faz parte do processo? A descoberta é o lado encantador de ser leitor,. É, deve ser. 

10 comentários em “Roleta literária

  1. vale a pena sair da zona de conforto sim, há tantos mas tantos autores que são excepcionais e que poucos conhecem

  2. Tentar conhecer novos autores tem os seus «qqqq»! Existem para todos os gostos, mas também por vezes o que é mau num primeiro livro acaba por ser bom num segundo, quando se tenta dar nova oportunidade porque se pensa que existe algo naquela escrita que consegue conquistar.

  3. Identifico-me tanto com isto que escreveste. Por vezes saio da minha zona de conforto mas tenho sempre tanto receio de não valer a pena. Porque fico a pensar que desperdicei dinheiro e tempo a ler um livro que não vale nada. No entanto, é sempre bom quando saímos da nossa zona de conforto e somos recompensadas com um bom livro :p

  4. “Sofro” do mesmo mal. Sei do que mais gosto de ler e acabo por ir ler sobre outras coisas completamente diferentes.

  5. Sem dúvida, concordo. Mesmo que uma pessoa fique desiludida, há sempre surpresas pelo meio.

  6. Aumentar o leque de autores conhecidos é uma das melhores coisas deste papel fantástico que é ser leitor.

  7. É umas das melhores coisa de sempre. Mas encontro sempre conforto nos autores que oferecem mais ou menos o estilo que eu mais gosto, o drama.

  8. Por vezes corre bem, outras corre mal.

  9. Cláudia, eu resolvi os problemas que envolvem “sair da zona de conforto” de três formas:
    A) Lendo os livros do “1001 Livros para Ler Antes de Morrer”. Dificilmente leio livros ruins quando escolho um livro dessa lista. Descubro novos gêneros literários e novos escritores.
    B) Lendo os livros do “Desafio de Rory Gilmore”. Todos os que li até agora são excelentes (com exceção de “O Código da Vinci” e “A Vida Secreta das Abelhas”). Essa lista da Rory tem a vantagem de ser bastante feminista, o que me agrada.
    C) Na dúvida, compro o livro em ebook. Assim não ocupo minha estante com livros que não sei se vou gostar.

  10. Gostava bastante e participar nesses desafios. Acho muito bons.
    Gostava de ler “A Vida Secreta das Abelhas” porque adorei o filme. Pensava que era muito bom.
    Eu devia começar a trazer da biblioteca os livros que não sei se vou gostar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.