Publicado em 3 comentários

Como ter inspiração para escrever num blog

 

Hoje reuni algumas perguntas que me fizeram sobre o meu percurso como blogger. Falo sobre inspiração e motivação. Tenho algumas dicas para dar, conselhos de amiga e espero que alguns sejam úteis para o vosso trabalho como blogger. São respostas curtas, não aprofundo nenhuma das questões, mas posso escrever textos para cada tópico, se sentirem necessidade. E se tiverem alguma dúvida, deixem nos comentários.

 

Nunca te falta a motivação para escrever? 

Não. Escrever e ler são as minhas duas grandes paixões da vida. Escrevo porque preciso de espaço na minha mente. Tenho sempre a cabeça num turbilhão de ideias e preciso de deitar para fora os pensamentos. Passaria mais de metade do meu dia a escrever, se pudesse. E a outra metade a ler. Mas a vida não pode, nem deve, ser só isso. Acho muito difícil cansar-me de algo que eu amo fazer. Depois sou muito focada e quero atingir os meus objetivos. E isso passa pela escrita.

 

Ter um blog e não gostar de escrever não é compatível. Para quem não gosta de escrever, ou não sente motivação para manter um blog com textos regulares, recomendo que escolha outra plataforma. O YouTube pode ser uma opção. O podcast ou o Instagram também.

 

Quais são as tuas maiores inspirações? 

Quanto aos blogues literários, gosto de blogues que evoluem. Que não sejam como eram há cinco anos atrás. Que tragam algo criativo. Que procurem por novas ideias, estimulem os outros a ler. Que não passem de textos de opinião e lançamentos. Posto isto, existem poucos que me fazem sentir entusiasmada. Mas existem. Gosto muito do trabalho da Angie. É uma menina leitora cheia de criatividade e muito esforçada. Traz sempre conteúdo diferente. Gosto de pessoas trabalhadoras, criativas, com força de vontade. Inspiram-me. A Alexandra inspira-me na forma como escreve as suas opiniões. Girl power. E fico sempre com vontade de ler tudo o que ela gosta. Não é por acaso que trocamos livros. As pessoas dos livros inspiram-me. Sobretudo quando marcam a diferença com os seus gostos literários.

 

Agora, quanto às pessoas que eu sigo no Instagram  e no YouTube. Inspira-me, a Alice Trewinnard, pela forma como comunica. Na forma divertida como falam da maternidade, Ana Sousa Amorim e a Diana (Rapariga da Serra). Pessoas que tornam o meu dia mais leve são inspiração.

 

Inspiro-me muito nas pessoas que sigo. Na vida, na minha vida, no cinema, na televisão (nem acredito que estou a dizer isto, mas é verdade), na literatura. O meu marido inspira-me, os meus filhos. Vejo inspiração em quase tudo.

 

O teu planeamento do blog é mensal ou semanal? 

Mensal e semanal. E anual. Sempre. Faço um planeamento mensal de acordo com os meus objetivos anuais e todos os domingos preparo o alinhamento semanal.

 

És blogger há quanto tempo?

13 anos. Comecei com um blog chamado Mau Feitio, depois tive Vida de Comercial, Batom, A Mulher Certa, O Elástico da Cueca (colectivo), Crónicas de Amor, Querem Lá Ver, e por fim, A Mulher Que Ama Livros. Pelo meio, alguns anônimos.

 

Como manter um blog atual com pouco tempo e às vezes pouca inspiração?

Para manter um blog atual precisa de estar no topo das tuas prioridades. Tens de te dedicar pelo menos meia hora por dia.

Tenho imensas dicas, mas posso partilhar algumas.

Podes ter uma lista dedicada ao registo de ideias. Sempre que surgir, registas a ideia. Podes usar o telemóvel como ferramenta de trabalho. Sempre que tiveres um tempo, podes avançar na escrita do teu blog. Ou usar o microfone. Ditas o texto e o telemóvel faz o trabalho por ti. Depois, basta ajustar os últimos pormenores e publicar.

 

O que fazer nos dias (vários seguidos por exemplo) em que não há inspiração escrever?

Não confundir inspiração com preguiça. A inspiração não surge do além. Vem com o trabalho constante. Quanto mais escreveres, mais vontade terás em escrever.  Portanto, o meu conselho é: vai em busca da inspiração. Sai da tua zona de conforto, por exemplo. Lê outra coisa, visita um museu, escuta música, procura vídeos no YouTube, vê fotografias. A inspiração pode surgir nas pausas, mas se não surgir, cria o hábito da escrita. E como é que isso se faz? Escrever mesmo sem vontade. Começa. Marca na tua agenda “escrever” e foca a tua atenção só nisso durante o período que estabeleceres.  Outra dica: tornar a escrita num desafio. Esta serve para quem adora um bom desafio. Imagina: 7 dias a escrever 1000/2000 palavras por dia. E mergulhas no desafio cheia de força de vencer.

 

Faz um planeamento do teu trabalho. Estrutura os teus objetivos. E cria pequenos objetivos diários para atingir o resultado final. Esta dica serve sobretudo para quem está a escrever um livro, ou um trabalho de faculdade. Pequenas vitórias transformam-se em motivação.

 

Quantas vezes devemos publicar um texto por semana?

Acredito que basta um texto por semana, se o trabalho demonstrar respeito pelos seus leitores. Desde que não falhes. Tem de ser um compromisso. Naquele dia, naquele horário. Convém ter alguma presença nas redes sociais se for apenas um texto. Caso contrário, podes escrever dois ou três. Mas mais do que isso, só fica confuso. Nem os leitores conseguem acompanhar a dinâmica. Claro, com excepções. Imagina que estás a fazer o blogmas (textos todos os dias até ao Natal), nesse caso faz sentido. Sem falhas!

Estar em todo o lado, com vários textos, não é vantajoso. Foi algo que aprendi nos últimos meses. Nem compensa. Mais vale demorar a escrever um texto, criar outras formas de comunicação (como fotografias), do que postar-postar-postar sem propósito. E encher os seguidores com conteúdo.

 

Portanto, recomendo, que seja um post por semana (sem falhas) ou dois/três. Recomendo que tenhas um horário fixo para os teus leitores criarem o hábito de visitar o teu blog.

 

 

Oportunidades 20 a 50 banner billboard

Publicado em 6 comentários

Conselhos para manter um blog

 

 

Ter um blog e manter um blog não é tarefa fácil. Sobretudo se queres traduzir o teu blog em algo profissional e transmitir uma mensagem com coerência e consistência.

 

Hoje em dia criam-se blogs para atingir e chegar a marcas, mas nem todos os blogs atingem as suas metas. E será assim tão importante chegar às marcas? Vamos refletir sobre isso brevemente. Parece que existe uma luta desenfreada pelos números de likes e seguidores. Vale tudo? Não vale. É preciso focar nos princípios e demonstrar isso através da imagem que transmitimos através do blog (ou redes sociais). Não queremos vender o nosso trabalho (nossa alma) por qualquer migalha, não é verdade? Queremos fidelizar um publico que acredite em nós. Não vamos sair a fazer publicidade da marca X, e logo de seguida da marca Y, e tentar convencer os nosso leitores que usamos tudo, que tudo é maravilhoso. Ninguém acredita.

 

Ter um blog pode simplesmente ser uma partilha dos nossos gostos. E está tudo bem. Contam-se pelos dedos os blogues que existem sem uma segunda intenção. Que não passam de amor. No entanto, todos queremos ser lidos. Caso contrário, escrevíamos num papel e guardávamos nas gavetas. Ou, tínhamos um blog privado.  Todos queremos receber algum feedback. E até para isso é preciso alguma dedicação. Os seguidores de um blog não gostam de seguir um blog que nunca é atualizado, que não valoriza quem o segue. Falo nos blogues, mas podia estar a falar de uma qualquer outra rede social (um canal no YouTube, um Instagram).

 

Tenho alguns conselhos para quem quer receber feedback e manter uma actividade regular. Para quem quer tornar o seu blog em algo para além de um simples hobbie. São dicas que uso constantemente e dou às minhas alunas no projeto Organização para Bloggers. É importante trabalhar cada ponto. É isso que estou a fazer com cada blogger neste projeto.

 

Escrevo em blogues desde Dezembro de 2006. 13 anos desta brincadeira que já me trouxe muita coisa boa. Hoje transmito o meu conhecimento a todos os que querem aprender. Pequenas ações que fazem a diferença. Ainda continua a ser mais paixão do que rendimento. Com uma larga diferença. Mas chega um dia que todos queremos ver os esforços recompensados. São muitas horas de dedicação. Por isso, decidi partilhar o meu conhecimento com os outros. As minhas técnicas de organização e planeamento. Ainda estou a trabalhar para trazer um curso melhorado e detalhado. E para isso, preciso das vossas dúvidas. Brevemente, irei juntar algumas perguntas sobre este tema, e responder num post. Se tiveres alguma dúvida, deixa nos comentários.

 

6 conselhos para manter um blog:

Foca nos teus projetos e não nos projetos dos outros

Consistência é a alma do negócio

A tua personalidade é o que irá marcar a diferença

Não esperes atingir tudo o que pretendes do dia para a noite

Reclama menos, faz mais

Planeamento e organização

 

 

irmas-mrec

Publicado em 4 comentários

Marie Kondo: A Magia da Arrumação

A série é constituída por oito episódios, cada um com cerca de 40 minutos. Cada episódio centra-se numa família com hábitos distintos. Todos recebem a visita da Marie Kondo (e da sua intérprete) onde recebem instruções e são ensinados a arrumar os objetos. Ficam uns dias a tratar da tralha, até voltar a receber a visita da Marie Kondo. E o sorriso dela.
No primeiro episódio de Marie Kondo temos uma mãe com dois bebés que não consegue lavar a loiça. Parece estar à beira de um ataque de nervos. Marie Kondo parece feliz por ajudar aquela família. Aliás, ela tem um sorriso no rosto o tempo inteiro. Não sei se ela não entende o que as pessoas lhe dizem, ou se a sensação de enriquecer dá esse efeito. Para arrumarem a roupa ela pede para fazerem uma pilha em cima da cama. E escolhem o que fica e o que vai.
Precisam de tocar na roupa e sentir se lhes dá alegria. Só ficam as peças alegres  As peças que ficam, ela ensina a técnica de dobrar de forma a ficarem todas super organizadas.  Nos livros é tudo explicado ao pormenor. Li os dois, e na altura ajudaram-me a arrumar os roupeiros cá de casa. Ainda hoje uso a técnica, sobretudo com a roupa dos miúdos. Fico com muito mais espaço, e tudo à vista. Mas só de pensar que vou ter quatro adolescentes cá em casa…
Não há nada melhor do que ter o nosso espaço organizado, com cheiro a limpo. Mas com uma família numerosa é um assunto delicado. Demasiada roupa, demasiadas coisas. E isso incomoda-me, desde que abraço o minimalismo, as tralhas fazer-me imensa confusão. Tudo o que seja acumular objetos me dá nervos. Então, o método KonMari faz sentido para quem quer começar a organizar a casa. O método organiza tudo por itens. Ou seja, não é por divisão da casa. É por objetos. Primeiro roupa, depois livros, papelada, e por aí vai.
Acho sinceramente que a roupa é a melhor forma para começar a organizar seja o que for. Mas a papelada também me parece uma boa opção. Sendo o mais difícil, para mim, é um assunto que pode ser logo eliminado.
Diz que a série é super inspiradora. Como li os livros antes, a série não me trouxe nada de novo. Mas foi bom relembrar algumas coisas. Até porque tudo o que esteja relacionado com organização, está diretamente ligada à minha paixão. Quem começa a estudar o assunto, não quer outra coisa. Leio tudo o que apanho sobre organização. E foi devido a essa minha paixão que desenvolvi o mini curso com trinta dias de mentoria para Bloggers. Ajudo a organizar e a planear dos Bloggers. Também ajudo a criar blogues de raiz e está a dar-me imenso gozo trabalhar nesta área. São muitos anos dedicada ao assunto para agora desenvolver algo meu. Qualquer dúvida, mandem-me e-mail.
Vejam a série. Dá dicas muito úteis na organização do espaço. Também podem ler os livros. Comprem AQUI e AQUI
Publicado em 3 comentários

Começar um sistema de organização | 4 passos simples

1542035895593

 

 

Queres ser uma pessoa mais organizada, mas não sabes como começar? Neste texto vou dar quatro dicas úteis para quem quer começar o próximo ano empenhado na organização e na concretização dos seus objetivos.

 

 

Não é difícil começares a organizar a tua vida pessoal e profissional. Estes quatro passos são a base do meu sistema de organização. Pequenos conselhos que farão toda a diferença. Recomendo que seja testado pelo menos três meses. O sistema de organização propriamente dito é mais complexo e necessita de maiores explicações. Farei questão de partilhar tudo convosco aqui e nas minhas redes sociais. Estou numa fase de mudança e alguns testes, assim que concluidos, volto para contar.

 

 

Chega ao fim o Especial Desenvolvimento Pessoal e Organização. Espero que tenha sido útil para a preparação do próximo ano. Estou a desenvolver novas técnicas para aperfeiçoar e acho que no próximo ano teremos surpresas a esse nível.

 

 

4 passos simples | organização

 

 

Escolher uma forma simples e apropriada para registar os teus objetivos, eventos e tarefas.

 

Podes optar por uma agenda, bullet journal, caderno, evernote. Eu recomendo que seja em papel para ser mais fácil de visualizar todos os elementos. Uso bullet journal há alguns anos, em 2019 decidi voltar à agenda. Espero conseguir conciliar a agenda com a minha paixão pelo bullet journal.

 

 

Criar o hábito de planeamento e verificação

 

É importante tirar um bocadinho do dia para o planeamento e verificação das tarefas. Sugiro que o planeamento mensal seja feito antes do dia 1 de cada mês. O planeamento semanal, todos os domingos e o diário, todas as manhãs depois de um bom pequeno almoço ou café.

 

 

Cruzar os objetivos anuais com os objetivos mensais

 

Para concretizar os objetivos anuais é necessario definir metas todos os meses para chegar mais próximo da meta. Estabelecidas as ações para cada plano no inicio do ano é necessário tornar real cada um. O registo na agenda é fundamental. Imagina que queres juntar 2000 mil euros durante o ano. Estabelece um valor mensal, de acordo com as tuas finanças (poupança e gastos) no momento em que fores fazer o planeamento mensal.

 

 

Não sobrecarregar e focar

 

Mais vale concretizar e avançar pequenos passos do que sentir frustração permanentemente. A minha sugestão é: cerca de cinco objetivos anuais para cada área da tua vida (pessoal, profissional, familiar e financeira); quatro/seis objetivos mensais (sempre cruzados com os teus objetivos anuais) e três tarefas/metas/eventos por dia. Exemplo: Objetivo anual: queres diminuir a pilha de livros na tua estante. Objetivo mensal: ler livro X comprado há cerca de cinco anos ou ler três livros sem comprar livros novos. Objetivo diário: ler cem páginas.

 

 

Publicado em 1 comentário

Por onde começar o processo de desenvolvimento pessoal?

Quero partilhar como foi comigo, como tudo começou para o meu caminho de desenvolvimento pessoal. Aquilo que mais me ajudou a transformar alguns aspectos da minha vida a vários níveis. Foram pequenas mudanças que se transformaram em mudanças gigantes, mas que me fizeram dar o salto, evoluir, fazer coisas que não teria feito sem esta evolução. Não foi uma jornada rápida. Nem sequer acabou.

 

 

 

 

 

 

 

Se vieste ler este texto por iniciativa própria, sentes vontade de encontrar respostas. É assim que tudo começa. Com o despertar. Existem tantos caminhos que nem sempre sabemos o que fazer a seguir. Eu deixaria isso entregue à tua intuição, mas posso dar-te algumas dicas para começares a testar o que serve para ti.

 

 

 

O desenvolvimento da minha espiritualidade foi o aspecto mais notório na minha caminhada. A busca por paz interior para contornar os meus dias de ansiedade e stress. A procura por uma solução para enfrentar os meus dias caóticos, relações tóxicas e foco nos meus objetivos. Estas necessidades foram a minha maior motivação.

 

 

 

Por onde comecei? Pela minha alimentação. Lembro-me tão bem. Estava grávida da Francisca quando vi um documentário sobre o açúcar chamado That Sugar Film. Após a visualização, decidi fazer uma experiência, largar o açúcar e a carne. E correu super bem. Notei benefícios em vários momentos da minha gravidez. As minhas análises apresentaram resultados muito positivos, deixei de ter anemia e passei a ter mais energia. Vi mais documentários e pesquisei muito sobre os benefícios físicos e ambientais da redução de carne na minha alimenntação. Uma coisa leva à outra. Foi o verdadeiro despertar. Novos hábitos, e o horizonte passou a expandir. Os interesses aumentaram. A procura por cada vez mais respostas. Depois do vegetarianismo, apareceu o minimalismo.

 

 

Quando descobri o minimalismo, foi uma lufada de ar fresco. Destralhar tudo o que sentia em excesso mudou bastante a minha forma de encarar a vida. Talvez a maternidade tenha ajudado neste processo. Um mundo melhor, uma casa mais leve e princípios alinhados com aquilo que acredito. Para além dos diversos problemas que eu tinha com o dinheiro e a necessidade de poupança. Uma relação que hoje em dia se encontra saudável depois de muito treinamento e mudanças.

 

 

Ninguém pode abraçar nada na sua vida se não tiver vontade de mudar verdadeiramente. A necessidade tem de surgir naturalmente. Caso contrário acaba por ser um castigo e ninguém quer isso.

 

 

O minimalismo deixou-me pronta para abrir mão de algumas amizades e relações que não acrescentavam nada. Deixar ir quem não quer estar, quem não queremos que fique. Talvez tenha sido o processo mais difícil porque estava ligado a questões emocionais, mas depois de começar, acabei por me habituar à paz e passou a ser natural. Valeu a pena cada degrau. A minha vida passou por uma verdadeira limpeza material e emocional.

 

 

Esta fase trouxe-me mais coisas boas do que menos boas. Acabei por me focar nos meus objetivos, no estudo, na família e em todas as mudanças que estavam a acontecer à minha volta. Foi quando viajei pela primeira vez para fora do país, voltei aos estudos, equilibrei as finanças e tirei partido de vários momentos. Deixei entrar pessoas novas na minha vida, que me trouxeram experiências maravilhosas e novos ensinamentos. Passei a soltar-me mais e deixei  de sofrer por insignificâncias. A leveza da vida é isso.

 

 

Depois, da limpeza senti necessidade de voltar a ter uma rotina que me fizesse sentir completa. Com uma vida cheia de tarefas domésticas e profissionais (cheguei a ter quatro empregos), acabei por descurar as minhas paixões e precisava de me conectar a mim mesma através da espiritualidade. E será que o tempo dispensado em trabalho extra contribuía para uma vida melhor? Foi quando descobri que o melhor seria optar pela organização e gestão do meu tempo, em vez de passar os dias cansada.

 

 

Estabeleci um plano a vários níveis. Profissional, pessoal, familiar e financeiro. Tracei objetivos, metas, passei a definir três objetivos diários. Entra nesse momento o Milagre da Manhã, com as ferramentas necessárias para organizar-me e estabelecer contacto com a minha espiritualidade. Tirar uma hora para mim, antes de toda a gente acordar, fez muita diferença. Vi vários vídeos na internet sobre o assunto. Li livros sobre o mindfulness, testei várias técnicas e falei com outras pessoas que me ensinaram bastante. Lembro-me da altura em que fiz o meu mapa astral, estava grávida da Fracisca, e comecei a procurar mais sobre numerologia e astrologia. A vontade de estudar mais sobre o assunto aumentou e hoje sinto que é uma caminhada sem fim.

 

 

Talvez me tenha esquecido de algumas etapas, mas o essencial está aqui. As várias áreas que podemos explorar, dentro das nossas necessidades. Algo que mudou bastante foi o estado de ansiedade permanente com a mente no futuro. Antes do meu casamento, estava extremamente ligada ao passado, também tive todo um trabalho para romper com memórias que me faziam infeliz. O desenvolvimento pessoal é um trabalho diário, que contribui para o melhoramento das nossas relações e enquanto indivíduos. A literatura é outro factor bastante essencial. Aprender, desenvolver o poder critico e aumentar os horizontes.

 

 

Continuo a ter as minhas lutas. Procuro tirar o melhor de cada uma.

 

 

Este foi o meu processo inicial. Para responder de forma concreta à pergunta, por onde começar, tenho uma resposta simples. Pelo despertar. Ouvir o que a mente diz, sentimos necessidade de mudar: o quê? como? O resto será natural. A abertura para a mudança atrai mudanças. 

 

 

 

 

Para mais textos sobre Desenvolvimento Pessoal e Organização é só clicar AQUI

 

 

 

 

Publicado em 2 comentários

Objetivos para 2019 – blog e instagram | Especial Desenvolvimento Pessoal e Organização

IMG_20181102_112046_040.jpg

 

 

Os objetivos desta lista são somente sobre a minha atividade no blog e instagram, algo que pretendo realizar em 2019.

 

 

Uma coisa de cada vez, sem pressões e ao meu ritmo. São expectativas que acredito serem fáceis de realizar. Diminuí alguns aspectos para concretizar outros. Não pretendo andar a correr no próximo ano, nem estar com as costas pesadas. Pelo contrário, quero cada vez mais a leveza e sentir prazer em cada tarefa. Escrever com dedicação, estar presente e sobretudo, quero ter a mente descansada. Sem o sentimento de “não estou a conseguir”. Sempre consciente que o próximo ano terá dias assim.

 

 

Quero focar muito na poupança de tempo e dinheiro. E no que me deu muito prazer fazer este ano. Sem grandes malabarismos. Comentem, digam-me o que acharam da lista, se acham possível uma pessoa concretizar tudo. Brevemente, trago um post sobre alguns objetivos pessoais e indicações de livros sobre desenvolvimento pessoal.

 

 

Ler dois livros por mês

 

 

Não comprar livros durante o ano de 2019

 

Só pretendo comprar na feira do livro se tiver um bom ritmo de leitura nessa altura. No máximo, cinco livros com desconto. Quero poupar ao máximo e ler tudo o que tenho em casa. É a primeira vez que faço isto.

 

 

Manter os Clubes Literários

 

Continuar com o Net Book Club e Clube dos Clássicos Vivos .

 

Escrever

 

No segundo semestre. Avançar com o meu livro com mais experiências para partilhar e Contos (quase) de Verdade.

 

Criar uma rotina equilibrada
Realizar o Milagre da Manhã | #6amclub durante trinta dias, com um grupo porreiro antes de regressar ao trabalho, de forma a criar uma rotina matinal equilibrada.

 

Projetos Literários

 

Quarta edição de Ler os Nossos e Ler Saramago em Novembro e (talvez) o regresso do LEDA.

 

 

 

Podes ler mais sobre o Especial Desenvolvimento Pessoal e Organização AQUI