Hoje tenho de vos falar da Jennifer Fox. Provavelmente nunca ouviste falar nela. Eu só a descobri ontem. Ela é produtora e diretora de cinema. Autora de vários filmes, inclusive o filme que eu assisti, The Tale. É um filme bastante forte no que toca a imagens perturbadoras de abuso. O foco central é uma mulher às voltas com o passado e descobrindo o que a memória andou a tramar durante vários anos. Gosto bastante da atriz principal, Laura Dern, ela está estupenda mais uma vez. Um filme que mostra a importância e urgência de estarmos em constante vigilância no que toca às nossas crianças. Urgente também é a sugestão da Alexandra, o stand up da comediante Hannah Gadsby chamado Nanette disponível na Netflix.Fui ver sem saber nada (basta que a Alexandra recomende) e saí a aplaudir de pé. Não é o comum espetáculo de stand up comedy, nem eu acho muita graça, confesso. É tudo o que não estás à espera. É melhor do que estás à espera. É um tiro na nossa cara que está borrada de tanto chorar ou rir. Hannah é lésbica, veio de uma cidade australiana onde até há bem pouco tempo era crime ser gay. Ela tem um discurso tão inteligente e carismático que é impossível não ficar de boca aberta com o que ela te conta. E o choque de realidade? E a história que ela te conta sobre a força dos homens sobre as mulheres? E as mensagens que ela te esfrega na cara? Tu não sabes, mas tens de ver, é urgente na tua vida. Depois, espalha a palavra, porque o Mundo tem de ver isto. Ia falar na cantora Demi Lovato internada por suspeita de overdose de heroína, na podridão da indústria musical, mas vou simplesmente remeter-me ao silêncio. O grito dela é o grito de muitas pessoas.